Escritora carioca vence a 4° edição do Prêmio Kindle de Literatura

Barbara Nonato ganhou R$ 30 mil, além da oportunidade de publicar uma versão impressa da obra premiada

Legenda: Bárbara Nonato é conectada ao universo da ficção, seja pelos livros ou pelo cinema
Foto: Foto: Renato Paraschin

A Amazon anunciou na noite de ontem (18), o resultado do 4° Prêmio Kindle de Literatura, em São Paulo (SP). A escritora carioca Barbara Nonato levou R$ 30 mil e terá a oportunidade de publicar uma versão impressa da obra "Dias Vazios", pela Editora Nova Fronteira.

Finalista em duas edições anteriores, Barbara concorreu ao prêmio com os escritores Nelson de Oliveira (e a obra "Gigante pela Própria Natureza"), Rafael Caputo ("Larissa Start"), Eugênia Zerbini ("Para você nunca se esquecer de mim") e Fernando Perdigão ("A Segunda Identidade"). O júri da escolha final foi formado pelos autores Marco Lucchesi e Conceição Evaristo.

As cinco obras foram escolhidas dentre mais de 1.600 publicadas pela ferramenta de autopublicação Kindle Direct Publishing. A Editora Nova Fronteira fez a seleção dos finalistas.

Legenda: Vencedora Barbara Nonato e o gerente-geral de Kindle na Amazon.com.br Alexandre Munhoz
Foto: Foto: Renato Paraschin

 "A cada ano, sinto que as pessoas estão conhecendo melhor o prêmio, maturando mais seus textos. Tive muita dificuldade na escolha desses 5", conta Janaína Senna, editora da Nova Fronteira. O concurso exige que todas as obras inscritas sejam inéditas, e que não tenham sido publicadas em blogs e afins. "Isso é muito importante. Muita gente boa é cortada por causa disso", complementa Janaína.

Os cinco finalistas também concorrerão à premiação internacional da Amazon Prime Video, em que o vencedor levará U$ 10 mil e uma adaptação da obra literária para a linguagem audiovisual.

Hobby

Surpresa com a premiação, Barbara Nonato observa que seu envolvimento com a literatura é um hobby que vingou bem. "Cresci lendo muito livro, vendo filme. É um hobby a qual me dedico e, mesmo sem ter o preparo técnico, acho que deu certo", comenta. 

Dentro da rotina de psicóloga, Barbara não encontra sempre um espaço "ideal" para produzir literatura. Ela se diz conectada ao universo da ficção, seja pelos livros, seja pelo cinema.

"Vim de uma família de professores, mas não necessariamente fui incentivada pra ser escritora. É uma coisa minha essa busca toda", recapitulou a autora premiada.

* O repórter viajou a convite da Amazon
 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?