Documentários cearenses são destaque no Cine Ceará nesta terça (30)

Com três filmes na disputa por premiação, Mostra Competitiva Olhar do Ceará contempla recentes produções do audiovisual local

Documentário
Legenda: Documentário "Transversais", de Émerson Maranhão

A partir desta terça-feira (30), o 31º Cine Ceará - Festival Ibero-Americano de Cinema inicia a "Mostra Competitiva Olhar do Ceará”. Três longas-metragens voltados ao gênero documentário disputam a premiação deste ano.    

Às 14h, a tradicional sala do Cineteatro São Luiz recebe a produção “Transversais”, de Émerson Maranhão. Na quarta-feira (1) será exibido “De uma distância esquizoide”, dirigido por Gabriel Silveira. Encerrando o ciclo, a quinta-feira (2) será da obra “Minas urbanas”, assinada por Natália Gondim

Foram 88 filmes inscritos para a Mostra Olhar do Ceará, que teve a curadoria de Desirée Langel Rondón. “Transversais” marca a estreia do cineasta Émerson Maranhão em longas-metragens. “Aqueles Dois” (2018), seu primeiro curta, foi selecionado para mais de 60 festivais e mostras no Brasil e exterior, conquistando um total de 20 prêmios. 

Histórias reveladas 

Em cena, as comoventes histórias de cinco personagens com origens, formações e classes sociais totalmente diferentes. Em comum a estas pessoas, o fato de terem suas vidas atravessadas pela transexualidade. 

Prometendo uma experiência audiovisual extrema, “De uma distância esquizoide” confronta dois contextos sociais totalmente distintos. O filme de Gabriel Silveira aborda os aspectos urbanos do mundo desenvolvido e as desigualdades do mundo em desenvolvimento. 

Cena  da produção “De uma distância esquizoide
Legenda: Cena da produção “De uma distância esquizoide". Filmografia de Gabriel Silveira inclui "Fortaleza-Caucaia" (2008), "Alguns Páreos em Palermo" (2014) e "Além da Jornada" (2019)

Em “Minas urbanas”, as lentes da diretora Natália Gondim registram jovens artistas e suas diversas experiências como mulheres. Lutando contra as injustiças criadas pela desigualdade social, de gênero e raciais, as vivências dessas entrevistadas fazem parte do nosso cotidiano.  

Curtas locais 

A “Mostra Olhar do Ceará” também destina espaço a trabalhos de curta-metragem. A partir das 14h, o Cinema do Dragão exibe três obras filmadas em diferentes municípios do Estado. Realizado no Crato, “Fôlego vivo” é documentário realizado pela Associação dos Índios Cariris do Poço Dantas – Umari.  

De Meruoca, temos “Arte na palha”. A obra de Augusto Cesar dos Santos aborda chapeleiras do interior cearense que produzem artesanatos com a palha da carnaúba e perpassam suas habilidades às novas gerações. 

“Arte na palha”, de Augusto Cesar dos Santos
Legenda: “Arte na palha”, de Augusto Cesar dos Santos

Já “Saudade dos Leões” conta com a direção de João Paulo Magalhães. Em meio ao cenário pandêmico, o curta investiga de que forma a cultura festiva de Fortaleza enfrenta obstáculos para se manter ativa.  

Nacionais na tela 

Às 19h30, a Mostra Competitiva Brasileira de Curta-Metragem abre a noite do Cineteatro São Luiz. Serão apresentados "O Resto" (MG), de Pedro Gonçalves Ribeiro; e "Sideral" (RN), de Carlos Segundo. 

Em seguida é vez do longa “5 Casas” participar da “Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem". Bruno Gularte Barreto retrata uma cidadezinha no extremo sul do Brasil na qual existem cinco casas e cinco histórias que se confundem em uma mesma. 

SERVIÇO
31° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema
Quando: 27 de novembro a 03 de dezembro.
Onde:  Exibição em Fortaleza, no Cineteatro São Luiz e no Cinema do Dragão. No formato virtual, através do Canal Brasil, Canais Globo e Globoplay + Canais ao Vivo, TV Ceará e canal do Cine Ceará no YouTube.
Entrada: Gratuita

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?