DFB Festival apresenta versão virtual com criações de máscaras por estilistas e concurso de modelos

O Festival também adota um novo nome, "DFB DigiFest", trazendo novas formas de repensar o consumo pós pandemia

Esta é uma imagem do Dragão Fashion Brasil 2019
Legenda: Dragão Fashion Brasil apresenta festival virtual reunindo moda, cultura e gastronomia
Foto: Divulgação

Sinônimo de salas cheias, desfiles e shows lotados, o Dragão Fashion Brasil (DFB) teve que reformular sua programação para lançar uma  versão virtual do festival e poder ser realizado em 2020. Na edição anterior, o evento chegou a reunir 42 mil pessoas no espaço montado na Praia de Iracema, possibilidade impensável no atual momento de pandemia do novo coronavírus.  Dentre as ações do evento neste ano, estão a criação de máscaras com estampas personalizadas por estilistas locais e  concursos com distribuição de R$35 mil reais como premiação em diversas áreas de atuação para profissionais, estudantes e amadores. O novo formato do festival teve início na última segunda-feira (1°) e segue até 19 de julho.

Apesar de hoje reunir diversas linguagens, o DFB é um evento essencialmente de moda. Porém, no lugar de grandes criações de roupas em desfiles, os designers estão sendo desafiados a colocar a sua criatividade em um elemento que passa a se tornar essencial para sair de casa: as máscaras. O evento virtual trará produções criadas por designers locais que serão aplicadas em máscaras reutilizáveis de longo prazo, com o tema "esperança e solidariedade", que serão distribuídas gratuitamente em bairros de maior vulnerabilidade social de Fortaleza. 

O Projeto New Faces, já tradição no DFB,  também ganha em 2020 uma versão online. As modelos serão avaliadas a partir de vídeos publicados em redes sociais e concorrerão a um prêmio de R$5 mil reais, além de curso em agência de modelos e confirmação na passarela da edição de 2021 do festival.

Outra novidade é que o evento mudou de nome. Denominado de "DFB DigiFest", o festival deixa os palcos e tendas para invadir as redes sociais e a plataforma virtual do DFB. “Não poderemos realizar o DFB Festival da maneira como sempre fizemos. O desafio é realizar um novo encontro para todos. Por isso, neste ano, realizaremos uma edição em formato virtual. O público vai poder aproveitar a nossa programação do jeito que preferir, seja no celular, no computador ou na smart TV”, disse o diretor geral do DFB, Cláudio Silveira,  em vídeo publicado nas redes sociais. 

 O DFB DigiFest também realiza a segunda edição da Mostra Competitiva MoveModa, com a exibição de curtas-metragens, assinados por videomakers profissionais, estudantes ou amadores. Os vídeos vencedores das quatro categorias da mostra receberão R$ 10 mil reais. Já o Concurso dos Novos ganha uma versão compacta no DFB DigiFest, contemplando instituições de ensino superior e técnico, com um prêmio de R$ 5 mil reais a equipe vencedora.

A programação do festival se divide em seis categorias -  Ações Sociais, Cultura,  Design, Empreendedorismo, Formação e Gastronomia - e desenvolverá ações direcionadas a pessoas e setores prejudicados pela pandemia do novo coronavírus. “Todo o planejamento do DFB DigiFest foi pensado para contemplar quem mais precisa de auxílio neste momento de crise, seja designer, aluno, artista, microempreendedor ou restaurante que teve suas atividades afetadas e seu faturamento comprometido”, contou Cláudio. 

Empresas com destaques serão premiadas

O festival lança também o Prêmio DFB Digital para contemplar marcas, microempreendedores e artesãos que mais se destacaram durante o período de isolamento social com estratégias desenvolvidas em suas respectivas plataformas e redes sociais para impulsionar modelos de negócio e comunicação em moda e design. A premiação distribuirá R$15 mil reais para os principais destaques nas categorias de Engajamento Social, Negócio Sustentável e Feed Criativo. 

O evento realiza ainda uma mostra gastronômica online, reunindo nove restaurantes que foram impactados pela pandemia da Covid-19. Os chefs dos espaços criarão suas versões de “marmita chic”, as quais serão comercializadas online, nas redes sociais, com um preço acessível.