Consumo precoce de álcool na adolescência é tema de peça teatral

"Por um Triz" conta a história de três jovens que vivenciam situações distintas, mas que os levam a pensar sobre o peso das consequências de suas decisões para o futuro. Espetáculo será exibido no canal do Cine São Luiz

Esta é uma imagem do espetáculo
Legenda: Espetáculo "Por um Triz" aborda consumo precoce de álcool na adolescência
Foto: Divulgação

Ao entrar na fase da adolescência, os jovens passam a vivenciar diversos conflitos, internos ou externos, que podem ir desde a busca do eu a pressões sociais. Com a idade, também chegam a responsabilidade e o peso das consequências de cada escolha.  É nessa fase da vida que se encontram Luis Otávio, Gabriel e Maria. Protagonistas de “Por um Triz”, os colegas de classe refletem sobre suas histórias de vida, reflexos dos seus atos e suas decisões para o futuro. O espetáculo do Grupo Bandeira das Artes estreia neste sábado (27), às 18h, no site e no canal do YouTube do Cineteatro São Luiz. 

A partir de histórias distintas, o espetáculo aborda o consumo precoce de álcool na adolescência e as consequências disso. Embora conectados pelo ambiente escolar, os jovens vivenciam desafios diferentes, que vão desde um acidente de trânsito ao abuso, mas que ao final os levam a refletir sobre o futuro e do peso de suas escolhas para chegar nele. 

“Ao final, há uma reflexão geral dos três sobre essa experiência, das histórias de vida, o que eles vivenciaram até ali, a partir daquelas decisões que tomaram, das consequências que tiveram que arcar. Eles jogam para plateia ao final uma pergunta: ‘O que você faria no meu lugar?’ É assim que a gente termina justamente chamando o público para continuar as histórias”, adianta o produtor e membro do Grupo Bandeira das Artes, Klístenes Braga.

“Por um Triz” nasceu em 2019 e desde a sua criação há uma interação direta entre o público e os atores ao fim do espetáculo. Após as reflexões propostas em cada cena do espetáculo, o elenco convida o público a se colocar no lugar de cada personagem. Esse diálogo faz parte do conceito de Teatro-Fórum adotado pela peça, que corresponde a uma das categorias da metodologia do Teatro do Oprimido, criada pelo dramaturgo Augusto Boal. 

Presente na apresentação presencial, o conceito foi adaptado para versão virtual do espetáculo. Agora, os espectadores interagem com os atores a partir de uma plataforma de videoconferência após o fim da apresentação. “A gente tinha junto com as juventudes, com os alunos ali presentes, uma mediação teatral. Nós convidávamos eles para tomar o lugar dos personagens e refazer a cena. Nesse contexto da virtualidade, nós estamos idealizando uma troca de ideias virtual”, diz Klístenes.

O produtor conta também que é a primeira vez que o espetáculo chega a um palco teatral. Por conta do público, a temporada de estreia de “Por um Triz” foi direcionada a escolas da rede pública estadual de ensino. Com a pandemia, surgiu a oportunidade de fazer a peça em um espaço tradicional, mas por um meio totalmente inédito. 

“É teatro, é apresentação teatral em um palco teatral, em um ambiente teatral, mas com a transmissão, com a mediação de recurso audiovisual. Então a gente tá aprendendo essa nova forma de fazer e apresentar teatro através dessa proposta de vídeo cênico. Para nós e para o espectador, é uma mudança de paradigmas que a gente espera se adaptar”, completa o produtor teatral. 

Serviço

Por um Triz

Sábado (27), às 18h, no site e no YouTube do Cineteatro São Luiz

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?