Conheça as propriedades, benefícios e curiosidades dos feijões consumidos no Brasil

A nutricionista Cinthia Queiroga destaca a pluralidade de cores, texturas e sabores da leguminosa

Legenda: A preferência dos cearenses é pelo feijão verde que, como o próprio nome sugere, é recém-colhido, além do de corda, já no estágio mais seco
Foto: FOTO: HONÓRIO BARBOSA

Seja verde, de corda, preto, branco, vermelho, carioca ou fradinho, o fato é que a pluralidade de cores, texturas e sabores do feijão coloca-o no topo dos alimentos mais presentes na mesa dos brasileiros, de todas as localidades do País.

Diante da variação da leguminosa, a nutricionista Cinthia Queiroga diz que cada região tem sua preferência, de acordo com o principal cultivo do local. "De qualquer forma, é importante variar o consumo para garantir o fornecimento de todos os nutrientes, bem como incluir mais sabor nas refeições", aconselha.

No leque de propriedades presentes nos sete tipos de feijão citados pela especialista estão proteínas e vitaminas, com destaque para as do complexo B, fibras e minerais, assim como ferro, zinco e cálcio, substâncias necessárias para o bom desenvolvimento nutricional.

Para quem deseja conhecer melhor o prato típico das refeições diárias de uma fatia bastante significativa da população brasileira, a nutricionista já começa apresentando as propriedades, benefícios e curiosidades do feijão verde e o de corda, os preferidos pelos cearenses.

Tipos

A leguminosa verde, tão consumida pelos nordestinos, especialmente pelo povo cearense, também é conhecida como de corda, na versão fresca, recém-tirada da vagem, por isso seu tempo de cozimento é bem reduzido, se comparado aos demais.

Legenda: O feijão de corda, no Ceará, corresponde ao fradinho
Foto: FOTO: NATINHO RODRIGUES

Segundo a especialista, esta variedade é fonte de vitaminas, com destaque para a K, B6 e A, além de minerais, a exemplo do ferro. É importante ressaltar que este componente, presente na leguminosa (chamado de ferro não-heme) precisa da ação da vitamina C para ser absorvido pelo organismo.

"Por isso, adicionar gotinhas de limão sobre o alimento ou incluir outra fruta cítrica, bem como laranja, goiaba ou tangerina, na sobremesa, é uma boa pedida para harmonizar o sabor do prato", recomenda.

O feijão verde pode ser consumido como prato quente. No Ceará, a iguaria é comumente temperada, servida com bastante cheiro-verde, queijo coalho ou nata. Outra sugestão é servi-lo frio, em preparações de saladas com legumes.

Já o feijão de corda, para quem não sabe, é considerado uma variação do fradinho, sendo mais popular na região Nordeste, e muito utilizado no famoso baião de dois. Quando cozido, apresenta pouco caldo e mais fino do que os das outras sugestões. "Uma porção de 100g fornece cerca de 80kcal e, aproximadamente 7g de fibras", revela a profissional.

Paixão nacional

O feijão preto é o mais conhecido e utilizado em todas as regiões do Brasil. No Nordeste, ele é mais consumido na feijoada. No Ceará, é muito comum o prato ser adotado como cardápio principal em comemorações mais descontraídas durante o dia. Já no Rio de Janeiro e, no Rio Grande do Sul, esse tipo é consumido com mais frequência no dia a dia.

Legenda: O feijão preto é um dos mais consumidos do Brasil
Foto: FOTO: ALEX PIMENTEL

O feijão preto possui casca mais firme e seu tempo de preparo é maior, sendo imprescindível deixá-lo de molho antes do cozimento. Conforme Cinthia, "entre todos os tipos, ele é um dos menos calóricos (cerca de 60kcal em 100g de grãos com caldo), desde que preparado de forma simples, com temperos naturais".

O carioca é um dos mais populares e produzidos. Ele possui casca ainda mais fina e, por isso, seu tempo de preparo é rápido. Em seu cozimento produz bastante caldo e é mais encorpado do que os demais.

Outra opção de grande consumo é o tipo vermelho, que assim como os demais feijões citados, fornece fibras, proteínas, vitaminas e minerais. No entanto, se destaca em relação à quantidade de flavonoides, como as proantocianidinas, uma classe de antioxidantes que previnem a ação de radicais livres no organismo, aumentando dessa maneira a longevidade celular e prevenindo doenças.

Dentre os demais, o branco é menos popular devido ao menor número de plantações; possui uma casca e caldo mais finos, sendo indicado no preparo de sopas e saladas. Ele é rico em carboidrato, fibras, cálcio, fósforo e potássio.

O fradinho é de cor branca, mas difere em tamanho e sabor quando comparado ao feijão branco, sendo mais semelhante ao de corda. Seu sabor é mais suave e pode ser usado em saladas, combinado com cenoura e vagem, além de outras receitas, como o tradicional acarajé.

"Essa versão fornece grande quantidade de fibras, podendo ser encontrado na forma de farinha e em cápsulas, com a finalidade de melhorar o trânsito intestinal e reduzir os níveis de colesterol e glicose sanguínea".

Curiosidades

O feijão fermenta muito e pode provocar gases, mas é possível minimizar os desconfortos gástricos, desde que a leguminosa seja preparada da forma correta. Para isso, é importante deixá-lo de molho, de preferência 12 horas antes de seu preparo. A água e os grãos estragados devem ser descartados e os demais lavados e cozidos em água limpa. "Esse processo contribui para a eliminação de fatores antinutricionais, que atrapalham a absorção de nutrientes", alerta Cinthia.

Quem está de dieta pode comer feijão. A leguminosa possui poucas calorias por grama. É rica em fibras e tem alta densidade nutricional, basta pequena quantidade para proporcionar saciedade.

Para não atrapalhar no emagrecimento, Cinthia indica o preparo com pouco óleo e sal, temperos naturais como alho, cebola, cheiro verde, folha de louro e pimenta. "É importante evitar o uso de carnes salgadas e embutidos", recomenda.

Tipos de feijão

Carioca: É um dos mais populares pelo sabor e por ser muito produzido. Possui casca mais fina e, por isto, seu tempo de cozimento é mais rápido;

Vermelho: Se destaca em relação à quantidade de flavonoides, a exemplo das proantocianidinas, uma classe de antioxidantes que previnem a ação de radicais livres no organismo;

Preto: Possui casca mais firme e seu tempo de preparo é maior, sendo imprescindível deixá-lo de molho antes do cozimento. É um dos menos calóricos (cerca de 60kcal em 100g de grãos com caldo);

Verde: Por ser recém-tirado da vagem, seu tempo de cozimento é bem reduzido. É fonte de vitaminas, com destaque para a K, B6 e A, além de minerais, como o ferro;

Branco: É menos popular devido ao menor número de plantações; possui uma casca e caldo finos, sendo mais indicado no preparo de sopas e saladas;

Fradinho: De cor clara, é semelhante ao feijão de corda. Possui sabor suave e pode ser usado em saladas;

De corda: Considerado uma variação do feijão fradinho, é o mais popular na região Nordeste, sendo muito utilizado para o famoso baião de dois. Uma porção de 100g fornece cerca de 80kcal e aproximadamente 7g de fibras.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?