Chef cearense sugere pratos simples para fazer em casa durante a quarentena

Marina Araújo também compartilha dicas para garantir uma boa alimentação nesse período

Legenda: Marina Araújo é chef e coordena o Cumbuca, projeto que resgata a tradição de doces típicos no Estado

A mudança foi rápida. Em poucos dias, bares, restaurantes e shoppings fechados para conter a transmissão do coronavírus impuseram uma nova rotina a quem já estava acostumado a fazer quase todas as refeições fora de casa. O hábito, criado a fim de dar conta de um ritmo acelerado de trabalho e convivência social, precisou ser reavaliado. E nem mesmo os aplicativos de refeições conseguiram dar conta dessa nova demanda.

Mais do que nunca, fez-se necessário olhar para dentro do lar. E os principais aliados foram aqueles ingredientes que encontramos guardados nas nossas geladeiras e armários. Nestes tempos em que excessos devem ser evitados, incluindo o consumo de alimentos industrializados, a chef e consultora de cozinha Marina Araújo, 29 anos, encontrou na situação de quarentena alguma vantagens.

Neste período de reclusão tenho pensado muito sobre projetos, maneiras de acrescentar no meu trabalho mais práticas holísticas para alimentar corpo e alma, e estudado sobre a culinária ayurvérdica (técnica indiana que usa temperos e especiarias em processos de cura). Tenho passado praticamente o dia todo na cozinha!”, compartilha a cearense.

Marina já era adepta de alguns conceitos gastronômicos sintonizados com este propósito, a exemplo do “slow food”. O princípio básico do movimento é o direito ao prazer da alimentação, utilizando produtos artesanais de qualidade especial, produzidos de forma que respeite tanto o meio ambiente quanto as pessoas responsáveis pela produção.

E neste sentido, consumir o que está na sazonalidade e o que é feito localmente, respeitando sempre o tempo da natureza, é uma atitude fundamental.

Legenda: A cocada de forno é um dos pratos preparados por Marina Araújo
Foto: Foto: Igor Barbosa

Planejamento

Entre as dicas para passar bem nesta quarentena, a chef adianta que a organização é um indicador importante.

“Acredito que com um planejamento, você elege o que é ou não prioridade. Depois de montar um cardápio do que seria a alimentação da sua família, pensando em todas as refeições pelos próximos sete dias, fica bem mais fácil não comprar itens a mais e nem perder tempo na saída de casa”, evidencia.

Marina conta que tem comprado seus orgânicos em um mercadinho, o La Feira Orgânica, que trabalha com uma cooperativa certificada da serra da Ibiapaba. Queijo coalho, goma de tapioca e algumas frutas, ela começou a pedir ao fornecedor Douglas, por indicação de uma colega. 

E para as noites em que deseja algo mais especial, ou no almoço de domingo, por exemplo, a chef tem solicitado a restaurantes de amigos, que estão passando por dificuldade neste momento.

“Comprar do pequeno faz toda a diferença agora. Não esperemos a crise passar, temos que consumir deles agora. É urgente”, alerta.

Alimentos leves são outra aposta da cearense nesta fase. Segundo ela, as comidas pesadas acabam por deixar nosso organismo mais preguiçoso, o que complica na hora de manter uma rotina ativa.

As escolhas pessoais de Marina incluem: shot de água com limão somado a própolis e mel, diariamente e, às vezes, com a adição de cúrcuma; no almoço, um primeiro prato de salada bem farto para começar e, na sequência, outro composto por carboidrato integral, proteína animal ou vegetal e legumes refogados ou no forno; água de coco no lanche para hidratar; e, no jantar, sempre sopa ou uma salada com chá para acompanhar. “Alimentação leve é a chave para um organismo desperto!”, ressalta.

Legenda: Marina Araújo tem abraçado no trabalho uma perspectiva holística, para alimentar corpo e alma
Foto: Foto: Igor Barbosa

Sugestões

Para aqueles que não têm o costume de cozinhar, mas estão decididos a se aventurar neste período, Marina indica ainda três pratos fáceis e “com alto nível de gostosura”.

O primeiro é o pão integral com pesto, que pode ser apresentado com uma espécie de trança feita à faca, o que transforma um pão simples numa bela iguaria para servir inteira à mesa.

Já os adeptos de uma cozinha com proteína animal reduzida, assim como ela, vem a sugestão do ceviche de manga.

“A manga tem um dulçor maravilhoso que, quando entra em contraste com o ‘leite de tigre’, (nome dado ao caldo que coze o peixe do ceviche) e a pimenta malagueta, fica uma explosão de sabores. Combina bem com torradinhas e um belo vinho tinto”, acrescenta a chef.

Por fim, ela destaca o bolo de laranja vegano como um sinal de amor, aconchego e boas lembranças. “Desde a hora da massa crua, até aquele cheiro subindo e se espalhando pela casa, bolo é uma anunciação de tempos melhores. Minha mãe costumava dizer: ‘se está triste, faça um bolo. Está feliz? faça um bolo’. Então façamos”, reforça.

Para Marina, aqueles que optarem pela cozinha neste período sairão agradecidos, visto que, na visão dela, fazer nossa própria comida é autocuidado dos mais belos.

A chef pede ainda para que não abusemos de ingredientes como creme de leite, condimentos industrializados, molhos processados e enlatados. Apesar de dar mais trabalho, comer algo fresco vale a pena, e apostar nas refeições simples (constituídas de um acompanhamento e uma proteína), além de prático, é ideal. 

“Essa recessão de amplo espectro, este novo modus operandi do mercado vai nos fazer rever muitos hábitos. E aí que mora a parte de boa de catarses como esta que estamos vivendo: dar um passo pra trás para viver de forma mais limpa e sustentável”, conclui Marina Araújo.

Confira três receitas de Marina Araújo:

Legenda: Pão de Trança com Pesto
Foto: Foto: Acervo Pessoal

PÃO COM PESTO

Ingredientes para a massa do Pão de Trança com Pesto 
160 ml de leite morno 
10 gr de fermento biológico seco
1/2 xícara de açúcar demerara
200 gr de farinha de trigo integral 
100 gr de farinha de trigo branca
30 ml de azeite 
02 col. chá de sal

Modo de preparo
Adicione o fermento e o açúcar no leite morno de deixe criar espuma. Depois junte as farinhas, o sal, o azeite e misture. 
Por último junte o fermento. Sove bem por cerca de 15 minutos e deixe descansar por 01 hora. 

Depois do descanso, em uma superfície enfarinhada abra a massa no formato de um retângulo e com uma colher passe o pesto dentro. 
Enrole no sentido do comprimento. Com uma faca bem afiada corte ao meio e faça uma trança. 

Dica 1: não esqueça de arrematar as pontas do pão
Dica 2: deixe o pesto virado pra cima 

Levar ao forno a 180 graus por 30 minutos ou até que esteja dourado.

Pesto: 
01 bom punhado de manjericão 
02 dentes de alho 
40 gr de queijo duro e salgado (parmesão)
01 xic de castanha de caju sem sal 
Sal 
Pimenta do reino 
Azeite a gosto. 

Legenda: Ceviche de manga
Foto: Foto: Igor Barbosa

CEVICHE DE MANGA 

Ingredientes
02 mangas cortadas em cubinhos 
01 cebola roxa pequena corta em cubinhos
suco de 3 limões grandes
01 punhado de coentro
01 pedaço pequeno de gengibre
02 dentes de alho
sal 
01 copo (250ml) de suco de laranja 
01 pimenta malagueta 

Modo de preparo 
Bata no processador o suco de laranja, o limão, o gengibre, o alho e o sal. Até ficar bem processado. Depois junte o coentro e bata levemente. 
Acomode as mangas em um recipiente, jogue a mistura batida e misture. Acerte o sal e coloque a quantidade que desejar de pimenta malagueta cortada em finas fatias. 
Decore com mais coentro e sirva com chips de batata doce e milho frito com sal. 

Legenda: Bolo de laranja vegano
Foto: Foto: Álvaro Esmeraldo

BOLO DE LARANJA VEGANO 

Ingredientes
02 xic de suco de laranja 
02 xic de açúcar demerara 
2/3 de xic de óleo de girassol 
04 xic de farinha de trigo sem fermento 
01 colher de chá de bicarbonato
03 colheres de sopa de fermento 
03 colheres de semente de papoula 
Raspas de laranja 

Modo de preparo 
Misture bem tudo, acrescentando por último o fermento. Despeje na forma untada com azeite e farinha. 
Forno por 30 minutos a 180 graus ou até que o palitinho esteja sequinho. 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?