Biblioteca comunitária em Fortaleza promove financiamento coletivo para reforma e expansão de sede

Localizada no bairro Barroso, Biblioteca Viva deve ampliar projetos de fomento à leitura e outras atividades a partir do valor arrecadado com a campanha

Legenda: Projeto arquitetônico de Laercio Silva para a Biblioteca Viva prioriza ampliação dos espaços da casa
Foto: Divulgação

Atuante no bairro Barroso, periferia de Fortaleza, desde julho de 2016, a Biblioteca Viva resiste e quer prosseguir transformando. A prova disso é a campanha de financiamento coletivo promovida pela casa para reformar e expandir a sede, a fim de ampliar projetos de fomento à leitura e outras atividades realizadas no prédio.

O apoio financeiro pode ser feito até o dia 5 de dezembro. A meta é arrecadar R$ 8 mil para ajustar vários pontos, a exemplo de recuperação no reboco e pintura de paredes; revisão em toda a engenharia elétrica de duas salas; remoção e substituição de piso antigo, entre outros.

Legenda: Descrição dos pontos que devem ser otimizados com a reforma da biblioteca
Foto: Divulgação

Um dos gestores do equipamento, Raphael Rodrigues conta que a equipe à frente da biblioteca alugou o espaço que fica ao lado da sede, propriedade do mesmo dono, e pretende unir as duas estruturas para dar conta do crescimento das demandas e melhorar os serviços.

"A biblioteca nasceu com o objetivo de proporcionar o acesso à leitura para milhares de pessoas no Barroso e para quem quiser nos visitar. A reforma e expansão de nosso espaço vai nos ajudar a sermos mais acolhedores e a ampliar nosso universo de atuação, trazendo mais impacto positivo na vida das pessoas que a acessam", explica.

Realidade

De acordo com Raphael, os efeitos devastadores da pandemia de Covid-19 também acometeram a casa. Foram suspensas as atividades realizadas principalmente com crianças, como contação de histórias, clubes de xadrez, aulas de astronomia e clubes de leitura.

"Mas ela continuou de pé com a ajuda das pessoas que nos apoiam. A reforma é a maneira que encontramos de enfrentar esse período de pandemia de forma propositiva", diz.

Hoje, o espaço, mediante observância dos protocolos sanitários, abre em horários bastante restritos – apenas às segundas, sextas e sábados, de 15h às 17h30. E o funcionamento foi limitado somente para empréstimos de livros.

"Também temos máscaras e álcool em gel para quem nos visita", reitera o gestor, igualmente tecendo comentários sobre como a presença do equipamento no bairro mudou a realidade do entorno.

Legenda: Biblioteca Viva tem funcionado durante a pandemia apenas para empréstimo de livros, cumprindo os protocolos de biossegurança
Foto: Divulgação

"Temos crianças e adolescentes que voltaram para a escola por meio do nosso apoio. Jovens que encontraram na leitura um auxílio para resistir às adversidades, como a falta de confiança diante de situações de vulnerabilidade social. Também percebemos que a biblioteca chega a pessoas que o Estado tem dificuldade de alcançar com projetos de leitura".

Relevância

No caso da pequena Maria Clara da Silva Nogueira, 11 anos, a descoberta da Biblioteca Viva ocorreu no ano passado, durante uma caminhada de retorno da escola. “No meio do caminho eu vi a biblioteca e fiquei muito impressionada, porque nunca tinha visto uma biblioteca antes”, compartilha. Com o olhar curioso, adentrou o espaço para descobrir o mundo dos livros e logo se adiantou para fazer o cadastro. 

Desde aquele momento, começou a participar das atividades, principalmente dos clubes de leitura e das oficinas de artes. “Eu estou lendo bem melhor do que lia antes e gosto muito das fábulas e dos contos”, diz. Para ela, o espaço sempre foi cheio de afeto, atenção e carinho. “Eu gosto das pessoas da biblioteca, agradeço muito a eles”, finaliza.

Legenda: Juventude do bairro Barroso é uma das mais beneficiadas com as ações da Biblioteca Viva
Foto: Luna Rocha

Somados, esses e outros motivos justificam a importância da ajuda na manutenção do espaço, gerido pela própria comunidade e fomentador de novos horizontes. Raphael sublinha que a iniciativa toca na ideia dos tipos de projetos que a equipe organizadora do equipamento quer para Fortaleza.

"A biblioteca é um espaço de produção de autonomia, vínculos e coletividade. Tem vida própria e é gerador de vida. Recentemente, tivemos uma pesquisa que aponta o crescimento da leitura nas periferias de Fortaleza. As bibliotecas comunitárias têm um papel importantíssimo nesse processo", conclui.

Serviço
Campanha de financiamento coletivo para reforma e expansão da Biblioteca Viva, no bairro Barroso
Até o dia 5 de dezembro por meio deste link. Meta pretendida: R$ 8 mil

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?