Berg Menezes cai na estrada com "Qual é a sua Revolução?"

Músico apresenta o disco no "A Festa da Música", de Recife

Legenda: O cantor e compositor atua na cena há mais de 10 anos e já participou das bandas Relicários e Os coadjuvantes
Foto: DIVULGAÇÃO

Canções de luta e amor na estrada

O destino de um músico é incerto. Ser ouvido é sinônimo de labuta, de correr na navalha. De se perder nas curvas da inquietude. Os últimos anos na vida de Berg Menezes foram mediados pela coragem do enfrentamento. Botar o bloco na rua para o cearense é semelhante a respirar.

Após o disco "Pedra" (2016), o músico entregou "Qual é a sua Revolução?" (2018). O trabalho tem as companhias de Artur Guidugli (percussão e vocais), Álvaro Abreu (bateria), Daniel Calvet (baixo) e Pedro de Farias (guitarra). Outro reforço ao universo de Menezes foram Caio Castelo (produção) e os cantores e compositores Miguel Cordeiro e Érica Albernaz.

Grito

Munido dessa frente, estipulou as 12 faixas do novo trabalho. As tintas usadas remetem a influências múltiplas. Do rock brazuca atravessa nomes tanto da cena gaúcha psicodélica como da leva mineira dos anos 1990. É um registro pessoal, disposto a mergulhar nas desventuras do cotidiano.

Legenda: Além de “Qual é a sua revolução?”, Berg lançou dois EP’s ("Imperfeito" e "Vagabundo") e o álbum "Pedra" (2016)
Foto: DIVULGAÇÃO

Existe o horizonte do otimismo, claro. Nesse quesito, a faixa título lidera tal perspectiva. Composta em meio ao atual período obscuro da política brasileira, a composição puxa do ouvinte posturas. "Toda espera faz o peito desejar", canta. O tom ácido é atravessado pela pegada pop/ fantasma de "Vem".

'Saia dessa ilha" é destaque na urgência do folk. Confessional, "Espelho Negro" e "Outros Esquecidos" entregam suítes experimentais. "Quem é de Quem" e "Sangrar" retomam a pegada rocker no início do disco.

"Estrada de Sal" soa nervosa e rivaliza com o lirismo de "Muda" e "Chance". "Dois Vestidos" e "Eu Não Sei/36" finalizam parte da trajetória assumida até agora pelo cearense. Berg Menezes apresento disco no fim do mês de junho. A estrada ensina e tem vida única.

Foto: DIVULGAÇÃO

Qual é a sua revolução?
Berg Menezes
Independente
2019, 12 faixas
bergmenezes.bandcamp.com

Outros lançamentos

Foto: DIVULGAÇÃO

Western Stars
Bruce Springsteen

Sem a E Street Band, o cantor americano de 69 anos volta a gravar solo após "Devils & Dust" (2005). Inspirado pelo rock rural californiano dos anos 1960 e 70, o rebento é laureado como o primeiro álbum "country" do veterano. A voz grave ilumina personagens errantes que vagam pelas zonas periféricas dos EUA.

Columbia Records
2019, 13 faixas
Brucespringsteen.Net

Foto: DIVULGAÇÃO

Long Time No See
Pin Ups

Uma das bandas mais importantes da história do rock alternativo brasileiro retorna após 20 anos de pausa. Alê Briganti (vocalista e baixista), Zé Antônio (guitarrista) e Flávio Cavichioli (baterista), se juntam ao guitarrista Adriano Cintra para formar um quarteto. A ideia da turma é pegar a estrada com shows pelo País.
Mindsummer Madness
2019, 11 faixas
Escute aqui

Foto: CAROLINA SCAGLIUSI

Jogo Humano
Test

O duo paulista de grindcore / death Metal solta no mundo outro esporro neurótico e veloz. João Kombi e Thiago Barata encaram outro estudo da decadência e agressividade humana com uma frase dividida entre 54 faixas experimentais. O registro foi masterizado no Audio Siege (Portland) por Brad Boatright (Sleep, Full of Hell, YOB).

Independente
2019, 54 faixas
Escute aqui

Foto: DIVULGAÇÃO

Manual de Sobrevivência Para Dias Mortos
China

O cantor e compositor Flávio Augusto (China) entrega um trabalho conectado com as mudanças recentes do País. Gravado entre setembro de 2017 e novembro de 2018, conta com Yuri Queiroga na produção e convidados especiais como o trombonista Nilsinho Amarante, os guitarristas Neilton (Devotos) e Andreas Kisser (Sepultura) marcam presença.

Pedra Onze
2019, 11 faixas
Escute aqui