Atriz e jornalista Duda Riedel encara leucemia com auxílio da escrita e das redes sociais

No processo de remissão da doença, ela compartilha sua experiências com mais de 500 mil seguidores do Instagram e prepara um segundo livro sobre essa nova fase da vida

Legenda: Duda concilia um acompanhamento médico contínuo com sua rotina de produção de vídeos e a escrita diária do livro
Foto: FOTO: HELENE SANTOS

O diagnóstico veio seis anos depois da mudança para a cidade dos sonhos, dois anos após a formatura em Jornalismo e Teatro, um mês antes do lançamento do seu primeiro livro, um mês depois de ter pedido demissão de um emprego em que não estava feliz, e também de começar a sair com alguém que estava gostando. Essa era a vida da cearense Duda Riedel, 24 anos, antes de descobrir a leucemia, no dia 3 de maio de 2019.

"Gritei, chorei, me revoltei, perguntei o que isso queria me ensinar, o porquê de ser comigo... Por fim, aceitei", escreveu ela em seu perfil do Instagram naquele período. A decisão de aceitar a "bênção", como ela passou a tratar a doença, veio acompanhada de uma revolução.

À época com 150 mil seguidores, ela continuou alimentando a rede social com seus vídeos engraçados sobre relacionamentos, mas também com uma espécie de "diário" sobre a nova vida acompanhada da "bênção", na qual a gratidão e a esperança tornaram-se sentimentos chaves. A hashtag #TuTemForçaMenina mobilizou mais de 500 mil seguidores, que passaram a enviar mensagens de incentivo à jornalista diariamente, além de revisarem os próprios hábitos a partir do exemplo dela.

Tudo isso a levou a emendar a publicação do seu primeiro livro, o e-book "Se valoriza, Mulé", à escrita do segundo, focado no novo ciclo que está vivendo. "Você pode tocar uma pessoa e mudar a vida dela completamente. Tem publicação minha com 2 mil comentários, outras com 300, e às vezes são essas 300 que mais se emocionam. Um livro agora, mesmo que eu tenha um número maior de seguidores, não vai me deixar rica, mas pode mudar a vida de tanta gente, e isso brilha mais o olhar", pontua.

Legenda: Duda publicou o e-book "Se valoriza, Mulé" um mês após o diagnóstico da leucemia. Agora, ela está preparando um segundo livro sobre a nova fase que está vivendo
Foto: FOTO: HELENE SANTOS

Atualmente, em remissão da leucemia e à espera do transplante de medula óssea, assunto sobre o qual ela prefere não se deter por recomendação profissional, Duda concilia um acompanhamento médico contínuo com sua rotina de produção de vídeos e a escrita diária do livro. As duas atividades estão diretamente ligadas à formação universitária. "Eu tento escrever diariamente. Tem dia que sai uma linha e é sensacional, outros que saem 40 páginas, mas não tão boas", compartilha.

Atuar para além dos vídeos que posta em sua rede social também é algo que Duda almeja logo que for liberada pela equipe médica. "Ainda tenho algumas restrições, então a escrita está me auxiliando mais nesse processo. Mas estou pensando mais no agora, não tenho planos para o futuro. Preciso ficar curada para começar a fazer novela, mas o agora faz mais sentido", destaca.

Mudança

Duda reviu todos os seus conceitos a partir dessa "ruptura na biografia", a começar pela forma como lidava com tudo ao seu redor. "Sempre gostei muito de reclamar. De tudo, eu reclamava e nunca achava que tava bom, mas o nosso olhar pelo mundo muda bastante quando nossa vida é questionada. E quando a gente muda nossa visão, passa a agradecer o pouco que tem, passa a dar valor à vida", reflete ela, cinco meses após o diagnóstico.

Reflexões como essa foram essenciais para a cearense no momento em que ela deixou o Rio de Janeiro, "a cidade dos sonhos", voltou a Fortaleza e entrou no ciclo de quimioterapia. E assim, tão rápido como chegaram, as células cancerosas se foram. Duda conquistou a remissão da doença ainda em junho, fato que atribui a um milagre. Mas esse primeiro passo para a cura física veio acompanhado de uma mudança de hábitos, "espiritual", como define.

"Você fica com medo da morte e começa a enxergar a vida de outra forma. Imagina: você tem 24 anos, vai para festa, é solteira, não tem filhos, não tem compromisso com nada, e acha que tem os maiores problemas, quando vem algo e te tira tudo, você fica deitada numa cama do hospital. Eu reclamava até quando não tinha coisa para fazer no fim de semana, aí de repente, percebi que talvez não pudesse nem acordar. Mas eu evoluí muito, graças a Deus, entendi que precisava amadurecer. Quando a gente encara como lição, deixa de ser um problema", identifica.

Novo sentido

Para Duda, toda ferramenta utilizada em prol do bem-estar, em meio a tempestades como a descoberta de um câncer, pode ajudar. Ela, por exemplo, aproveitou os vídeos e a escrita do livro como distração no hospital. "Mas tem pessoas que fazem arte de outra maneira. Aprendem crochê, a tocar piano. Qualquer coisa onde você coloca amor se torna arte", diz.

Legenda: Atuar para além dos vídeos que posta em sua rede social também é algo que Duda almeja logo que for liberada pela equipe médica
Foto: FOTO: HELENE SANTOS

O autocuidado ganhou um novo significado para a cearense nesse processo. "Tem gente que acha que é correr na esteira, comprar roupa. Eu penso que é tirar um tempo do nosso dia, que é tão corrido, para olhar pra si, entender nossas necessidades. Às vezes, é tomar sorvete, comer hambúrguer, passar duas horas cuidando da pele para eu olhar pra mim, me ver. Pode ser ainda simplesmente ir à terapia, uma vez por semana ou até mais", recomenda.

Ela também entende que, em percursos como esse, nem sempre se caminha com muita gente. E o autocuidado passa a ser uma estratégia pessoal de superação. "A gente começa a batalha com 100 pessoas ao nosso lado, mas no decorrer dos dias, elas vão sumindo, têm a própria rotina. Porém, sei que se um dia precisar de alguém, as pessoas estarão lá. O que importa não é ter 99 soldados atrás de você, é eles estarem no ponto que você precisa. Amigos e família são tudo", conclui Duda, certa de que o que vier daqui para frente será sempre bênção.

Serviço

Onde adquirir o e-book "Se valoriza, Mulé!": https://profile.Hotmart.Com/se-valoriza-mule
Instagram: @dudariedel

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?