Atividades culturais online ajudaram na saúde mental durante a pandemia, aponta estudo

Pesquisa realizada pelo Itaú Cultural e Datafolha revela que o consumo de eventos virtuais melhorou o ambiente de casa e diminuiu a sensação de estresse e solidão

Legenda: Fechamento do comércio impactou o mercado de trabalho, sobretudo no início da pandemia
Foto: FOTO: NATINHO RODRGIGUES

Pesquisa idealizada pelo Itaú Cultural e Datafolha revela os hábitos de consumo cultural durante a pandemia do coronavírus. O foco do estudo divulgado na terça-feira (20) é saber quais expressões artísticas foram mais procuradas pelos usuários durante o isolamento social. Outro dado significativo do levantamento é pesquisar os impactos destas atividades na vida pessoal dos brasileiros. 

De acordo com a pesquisa, 54% declararam que as ações culturais na web ajudaram a diminuir a sensação de solidão. 45% apontaram redução do estresse e da ansiedade. Para 44%, o consumo de cultura virtual na pandemia contribuiu para melhorar a qualidade de vida de forma geral. 

Mudanças

Para 58% dos entrevistados, acessar programação cultural online ajudou no relacionamento com as outras pessoas da casa. O fenômeno foi especialmente percebido nos indivíduos com faixa etária entre 45 e 65 anos.

65% das pessoas com menor escolaridade declararam que o relacionamento doméstico melhorou. Os benefícios para o convívio em casa foram mais percebidos pelos homens (63%) do que pelas mulheres (54%). 

As atividades virtuais ajudaram as pessoas no acesso a cultura. 67% dos entrevistados apontaram que houve uma maior democratização no acesso a conteúdos do gênero nas redes. Com este impacto positivo, 56% declararam ter ficado mais interessados no consumo de atividades culturais na web.

Famílias

O levantamento Itaú Cultural/Datafolha também investigou quais as outras atividades online foram realizadas pelos internautas durante a pandemia. 81% dos ouvidos disseram ter usado a internet para conversas e confraternização com amigos e família.

Acessar cultos de diversas religiões foi apontado como atividade realizada por 48% da amostra. Já 39% usaram a web para acompanhamento das atividades escolares com os filhos. Outros 35% usaram a web na pandemia para realizar doações e atividades voluntárias, entre outras ações semelhantes

O levantamento apontou também que 34% acompanharam aulas online do curso regular do colégio e/ou faculdade em que estudam. Meditação online foi realizada por 23% dos usuários e 19% realizaram consultas por telemedicina. 

 

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?