As tendências desfiladas no DFB Festival que estão prontas para usar já

Das passarelas direto para o look do dia. O DFB Festival 2019 desfilou propostas que podem ser incorporadas nas produções cotidianas

Escrito por Gabi Dourado, gabriela.dourado@diariodonordeste.com.br

Verso
Legenda: Melk Z-Da
Foto: Camila Lima

Além das criações conceituais que mostram o poder criativo dos estilistas, designers e artesãos, o DFB Festival 2019, que aconteceu na última semana no aterro da Praia de Iracema, também desfilou propostas de looks que podem ir direto para as ruas.

Entre os desejos atuais, estão desde as cores em neon até o democrático macacão. O eterno retorno do que já foi moda também marca presença com os conjuntinhos, febre nos anos 1960 e agora repaginados e cheios de atitude.

Outra forma de trazer personalidade às produções do dia a dia é investir nos detalhes das peças. Aqui, destacamos as mangas bem trabalhadas com volumes ou costuras mais ousadas.

Babados

Seguindo a onda romântica, os babados tomaram conta dos looks e prometem ser uma das apostas mais fortes neste ano. Eles estão por toda parte, desde moda praia, como nesse biquíni Água de Coco, a propostas casuais, a exemplo do look com saia midi e cropped de Jeferson Ribeiro.    

Legenda: Água de Coco
Foto: Camila Lima

Legenda: Jeferson Ribeiro
Foto: Camila Lima

Conjuntinhos

Febre nos anos 1960, 1980 e 1990, a onda de usar parte de cima e debaixo com a mesma estampa, tecido ou textura está de volta mais uma vez e veio com tudo. Se você acha que vestir o look todo combinando é over, saiba que estará, na verdade, bem antenado. Inspire-se com as propostas em xadrez de David Lee e rosê de Melk Z-Da.

Legenda: Melk Z-Da
Foto: ROBERTA BRAGA e CHICO GOMES

Legenda: David Lee
Foto: ROBERTA BRAGA e CHICO GOMES

Legenda: Baba
Foto: ROBERTA BRAGA e CHICO GOMES

Transparência

Uma forma rápida de deixar o look mais interessante é investir em transparência. O elemento apareceu em vários desfiles, desde em longos vestidos, como este de Melk Z-Da, até em macacões produzidos em plástico. Aliar a transparência com um trabalho artesanal deixa a produção ainda mais encantadora, combinando a exuberância do jogo "mostra-esconde" com o charme handmade.

Legenda: Melk Z-Da
Foto: ROBERTA BRAGA e CHICO GOMES

Legenda: Melk Z-Da
Foto: ROBERTA BRAGA e CHICO GOMES

Legenda: Gisela Fanck
Foto: ROBERTA BRAGA e CHICO GOMES

Legenda: Baba
Foto: Roberta Braga

Macacão

Peça prática e democrática, o macacão veste bem homens e mulheres, além de passear por universos distintos sem perder o estilo. Tudo vai depender do tecido, modelo e acessórios a serem compostos com a peça única. No DFB, ele surgiu em versão elegante no desfile de Melk Z-Da e proposta urbana e descolada na passarela da Baba.

Legenda: Vitor Cunha
Foto: Roberta Braga e Chico Gomes

Legenda: Parko
Foto: ROBERTA BRAGA e CHICO GOMES

Legenda: Baba
Foto: ROBERTA BRAGA e CHICO GOMES

Legenda: Melk Z-Da
Foto: Roberta Braga e Chico Gomes

Neon

É hora de acender e brilhar! O neon tomou conta dos looks e ganhou a moda praia, festa e esportiva. Na jaqueta bomber e calça jogger do desfile de Bruno Olly, surge em detalhes que fazem a diferença. Já Melk Z-Da combina neon e handmade em proposta ousada e com personalidade.

Legenda: Melk Z-Da
Foto: Camila Lima

Legenda: Bruno Olly
Foto: ROBERTA BRAGA e CHICO GOMES

Foco nas mangas

Mais estruturadas, bufantes ou com costuras aparentes. As mangas prometem fazer a diferença em qualquer produção. Desde os ombros em evidência à la anos 1980 de Wagner Kalieno, que desfilou peças com grandes volumes, até formas mais discretas, como na Almerinda Maria (à esquerda) e Gisela Franck (à direita), elas dão informação de moda ao look.

Legenda: Wagner Kalieno
Foto: ROBERTA BRAGA e CHICO GOMES

Legenda: Gisela Franck
Foto: ROBERTA BRAGA e CHICO GOMES

Legenda: Almerinda Maria
Foto: Camila Lima