Após ataque racista, Cacau Protásio pede que fãs respeitem trabalho de bombeiros

Cacau foi vítima de ofensas racistas e gordofóbicas ao terminar de gravar cenas de seu próximo filme, "Juntos e Enrolados"

Legenda: Cacau Protásio gravou um vídeo agradecendo o apoio que recebeu das pessoas
Foto: Reprodução/Instagram

A atriz Cacau Protásio, que sofreu um ataque racista em um quartel de bombeiros na última semana, gravou um vídeo agradecendo o apoio que recebeu das pessoas e pedindo para que elas não generalizem ou desrespeitem o trabalho do corpo de bombeiros.

"Vim agradecer todas as mensagens de carinho que recebi, de anônimos, de famosos, de pessoas que conheço e não conheço, dos meus familiares... Muito obrigada. Se não tivesse recebido esse carinho todo, não sei se teria conseguido ou continuado. Ainda estou triste, mas o amor, a alegria é muito maior", afirma a atriz em vídeo publicado em sua conta no Instagram.

Em seguida, ela faz um apelo e diz que gostaria que as pessoas "continuassem a ter respeito à corporação dos bombeiros". "A instituição é maravilhosa, salva vidas", diz ela, lembrando que quando foi denunciar o ocorrido em uma delegacia, ficou presa no elevador e foi salva por um bombeiro. "Vocês têm minha gratidão e meu respeito. Infelizmente têm elementos lá que não representam essa farda tão linda. Mas, infelizmente, nosso mundo é assim", conclui. 

Cacau foi vítima de ofensas racistas e gordofóbicas ao terminar de gravar cenas de seu próximo filme, "Juntos e Enrolados", em um quartel dos bombeiros no dia 23 de novembro, no Rio de Janeiro.

Cacau, que havia agradecido aos bombeiros após a gravação, lamentou o ocorrido em um vídeo publicado no Instagram, aparentemente bastante abalada. Nas imagens, ela explica que interpreta uma sargento dos bombeiros em seu novo filme: "Eu faço filme, conto história", afirmou ela. 

"Tem um bombeiro que fez um vídeo de uma cena solta e espalhou por aí, e espalhou o vídeo com um áudio me xingando de negra, gorda, filha da puta, cambada de viado. Racismo é preconceito, se ele não sabe. E isso é muito triste. Não entendi por que tanto ódio", afirmou a atriz em suas redes sociais. 

Cacau ainda continuou: "Sou negra, sou gorda, sou brasileira, sou atriz, eu conto histórias, conto ficção. Não mereço ser agredida, assim como nenhuma pessoa. Eu respeito a opinião de alguns bombeiros que dizem que 'ah, eu não acho certo', mas vai ver realmente a história antes de agredir". 

Famosos também saíram em defesa da atriz, como Maria Ribeiro e Érico Brás. Procurado, o Corpo de Bombeiros do Rio afirmou que "não compactua com qualquer ato discriminatório". A corporação afirmou ainda, em nota, que se solidariza com a atriz Cacau Protásio e que já abriu procedimento interno para identificar os militares por trás dos ataques a ela e apurar a conduta.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?

Assuntos Relacionados