Anthony Hopkins agradece prêmio do Oscar com homenagem a Chadwick Boseman. Veja vídeo

Ao conquistar a segunda estatueta da carreira, britânico torna-se a pessoa mais velha a receber a honraria. Saiba onde assistir "Meu Pai", filme que consagra a jornada do ator de 83 anos

Em
Legenda: Em "Meu Pai", o britânico interpreta "Anthony". O personagem convive com uma doença degenerativa
Foto: Em "Meu Pai", o britânico interpreta "Anthony". O personagem convive com uma doença degenerativa.

Na noite desse domingo (25), Anthony Hopkins levou o Oscar de "Melhor Ator" pelo filme "Meu Pai". O britânico tinha concorrentes de peso. Entre eles, o favorito Chadwick Boseman (1976-2020). O talentoso ator, morto aos 43 anos em decorrência do câncer, era cotado ao prêmio póstumo por "A Voz Suprema do Blues".

Dirigido pelo francês Florian Zeller, "Meu Pai" conta a história de Anthony. O drama mostra um idoso que precisar lidar com o avanço da demência. A produção ganhou por "Roteiro Adaptado" e pode ser assistida no Brasil nas plataformas Now e Google Play.

Hopkins não compareceu à cerimônia. Na manhã dessa segunda-feira (26), o ator publicou vídeo no Instagram. Direto de sua casa localizada no País de Gales, ele agradeceu a honraria e prestou homenagem a Chadwick Boseman.

"Quero prestar homenagem a Chadwick Boseman, que foi tirado de nós tão cedo".

A consagração com o segundo Oscar na carreira foi uma surpresa, declarou. "Aos 83 anos de idade, eu não esperava receber esse prêmio. Eu realmente não esperava. Estou muito agradecido à Academia", completou o astro.

Hopkins estava dormindo

Sabe acordar e saber que ganhou o Oscar?  Hopkins dormia quando a vitória foi anunciada nos Estados Unidos, contou o agente do ator à revista People. O segundo prêmio na carreira do britânico estabelece um recorde. É a pessoa mais velha a receber a estatueta da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Christopher Plummer (1929-2021) era o detentor da marca até então. Ele tinha 82 anos quando venceu "Melhor Ator Coadjuvante" por "Toda Forma de Amor" (2011). Plummer morreu em fevereiro último.

De 'Hannibal' ao Oscar

Em 1992, Hopkins ganhou o Oscar pelo trabalho em "O Silêncio dos Inocentes". Além da consagração pessoal, o ator emplacou um dos personagens mais conhecidos da sétima arte, o doutor Hannibal Lecter.

Como o Dr. Hannibal Lecter em
Legenda: Como o Dr. Hannibal Lecter em "O Silêncio dos Inocentes" (1991)

Segundo o Internet Movie Database (IMDB), Sir Philip Anthony Hopkinso coleciona o total de 141 papeis no cinema e TV. Desde os anos 1960, o britânico também é dono de reconhecida carreira no teatro da Terra da Rainha. 

A versatilidade da filmografia é um destaque. Hopkins explorou gêneros como drama, horror, comédia e até filme da Marvel ("Thor"). Outros pontos altos da carreira foram "O Homem Elefante" (1980), "Nunca te Vi, Sempre te Amei" (1987) e "Drácula de Bram Stoker" (1992).

Diretor David Lynch  com Hopkins no set de
Legenda: Diretor David Lynch com Hopkins no set de "O Homem Elefante" (1980)

Hopkins já foi indicado outras quatro vezes. Concorreu em 2020 a "Melhor Ator Coadjuvante" por "Dois Papas", de Fernando Meirelles. Outra ocasião foi por "Amistad" (1998), de Steven Spielberg. Disputou por "Melhor Ator" pelas atuações em "Nixon" (1996) e "Vestígios do Dia" (1994).

Melhor roteiro adaptado

"Meu Pai"  também levou Oscar de "Melhor Roteiro Adaptado". A produção é baseada em uma peça teatral de 2012 do diretor Florian Zeller. Christopher Hampton coassina a adaptação.

“Eu escrevi o roteiro para o Anthony Hopkins, ele é o melhor ator vivo”, declarou Zeller em seu discurso de agradecimento.

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?