Alceu Valença compõe ópera com barulho de obra do vizinho

Pernambucano em quarentena usou o som das britadeiras para improvisar composição com crítica à obras feitas durante a pandemia

Alceu Valenca
Legenda: Alceu Valença segue em quarentena

A quarentena não tirou o bom humor e a criatividade do músico Alceu Valença. O som de britadeiras de uma reforma vizinho ao seu apartamento inspirou o pernambucano a fazer música. Em um post no Facebook, Alceu puxa uma letra improvisada com o ritmo das batidas que entravam pela janela. 

"Uma obra do vizinho, em plena pandemia, não deixa o poeta dormir, pensar. A sinfonia de martelos e britadeiras, no entanto me inspiram a compor a Ópera Neurótica", escreveu o poeta. 

Na letra da canção improvisada, uma crítica ao fato das obras estarem acontecendo durante a pandemia. "Acabei de acordar com essa sinfonia, os vizinhos fazem suas obras e saem com a família para os sítios, para as praias e reformam os apartamentos em plena pandemia", canta Alceu. 

Durante a quarentena, Alceu Valença apresentou duas lives próprias (dias 3  e 27 de maio), além de participação em uma das apresentações virtuais diárias da cantora Teresa Cristina, no dia do aniversário dele (primeiro de julho). Na companhia de Elba Ramalho e Geraldo Azevedo, realizou, ainda, a live do show “O grande Encontro 20 anos” (5 de julho). Participou também do Programa “Conversa com Bial” (19 de junho).

Em entrevista ao Estadão, o músico diz que tem passado seu tempo em casa tocando violão e revisitando sua própria obra. Agora, com o inusitado ritmo dos martelos e britadeiras, até novas canções vêm surgindo.

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?