Rio Grande do Norte amplia toque de recolher contra Covid-19

Medida foi anunciada pela governadora Fátima Bezerra (PT) após acordo com prefeitos de Natal e Região Metropolitana

Governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra
Legenda: "O cenário epidemiológico requer medidas mais duras", afirmou a governadora Fátima Bezerra.
Foto: divulgação

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), anunciou, nesta sexta-feira (5), a ampliação das medidas restritivas no Estado após acordo com os prefeitos de Natal e da Região Metropolitana. A partir deste sábado (6), haverá toque de recolher entre 20h até 6h e, no domingo (7), a medida será em tempo integral, valendo o funcionamento apenas das atividades consideradas essenciais. 

"O cenário epidemiológico requer medidas mais duras", afirmou Bezerra. No último sábado (27), o governo do Rio Grande do Norte já tinha publicado um decreto determinando toque de recolher em todo o Estado, entre 22h e 5h, até 10 de março.

De acordo com a governadora, a taxa de ocupação das Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) está em torno de 93,9% e há fila de espera de 72 pessoas, que compreende a capital e a Região Metropolitana. Há, em todo o estado, apenas 17 leitos disponíveis.



Conforme dados do Secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia, há 171.943 casos no Rio Grande do Norte. Ele acrescenta que "não temos mais a possibilidade de fazer transferências, e isso exige de todos nós medidas extremas".

Bezerra afirmou que "todos os esforços estão sendo feitos, mas isso tem limites". Além da exaustão dos profissionais de saúde, a governadora aponta uma crise de desabastecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) e a baixa taxa de vacinação no País. "Não vou iludir a população do Rio Grande do Norte dizendo que basta abrir leitos de UTI para resolver a situação. Neste momento, se faz urgente aumentar o isolamento social", pontuou.

Impacto das medidas em setores

Embora tenha lamentado o impacto que a ampliação das medidas restritivas terá no setor empresarial, em especial no entretenimento, a gestora estadual foi firme: "a vida se impõe sobre qualquer convicção".

As novas medidas contarão com o apoio de forças de segurança, cujas equipes estarão incumbidas de fazer os decretos valerem. A governador, porém, ressalta que a população precisa atuar para evitar a disseminação da doença. "O governo está fazendo sua parte e pedimos pra sociedade fazer a sua."