Fisioterapeuta recebe vacinas diferentes contra a Covid-19 em Natal após erro de aplicação

Mulher recebeu dose do imunizante de Oxford em janeiro e da CoronaVac nesta terça-feira (16). Secretaria Municipal de Saúde fará monitoramento da paciente

Cartão de vacinação com vacinas diferentes contra a Covid-19
Legenda: Primeiro registro feito no cartão de vacinação da paciente mostra a data, mas não informa o imunizante usado na primeira aplicação.
Foto: VC Repórter

A fisioterapeuta e professora universitária Solimar Palagar, 47 anos, que trabalha numa maternidade pública de Natal, descobriu que foi vacinada contra a Covid-19 com dois imunizantes diferentes. A secretaria municipal da Saúde reconheceu o erro.

Em janeiro, a mulher recebeu a primeira dose da vacina AstraZeneca, produzida em parceria com a Universidade de Oxford. Nesta terça-feira (16), tomou a segunda dose da CoronaVac, produzida pela empresa chinesa Sinovac e produzida no Brasil pelo Instituto Butantan.

As duas vacinas têm aprovação de uso pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e são previstas no Plano Nacional de Imunização (PNI). No entanto, quem toma a dose de um imunizante deve receber o reforço do mesmo tipo — não há comprovação de eficácia da imunização a partir do recebimento de vacinas distintas.

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal informou em nota oficial que pode ter havido falha no processo porque ela não teria feito o autocadastro e o nome estava ilegível no documento. Afirmou também que se trata de um caso isolado.
As pessoas que recebem a primeira dose de uma vacina devem tomar a segunda do mesmo imunizante. Não há comprovação científica de eficácia em casos em que a pessoa toma duas doses de fabricantes diferentes.

"A profissional está em monitoramento remoto e notificada para acompanhamento de possível evento adverso", diz a nota da Secretaria Municipal de Saúde de Natal. O órgão acrescentou que sempre informa aos usuários o tipo de vacina aplicada com a estimativa de esquema vacinal para a segunda dose.

Solimar tomou a primeira dose da CoronaVac no dia 27 de janeiro. O nome da vacina não foi registrado no cartão. Nesta terça, após receber a segunda dose, a profissional responsável pela aplicação do imunizante verificou o lote que constava no cartão e disse que havia errado.

"Cheguei ao local e a moça aplicou a vacina em mim, mas quando ela pegou meu cartão de vacinação para registrar e viu o lote da dose que eu tinha tomado primeiro disse: 'meu Deus, apliquei a vacina errada. Ela ficou muito assustada e eu fiquei muito nervosa'", contou em entrevista ao portal de notícias G1.

A Prefeitura de Natal informou que ainda será definido se Solimar vai tomar a segunda dose da vacina da AstraZeneca/Oxford no tempo correto conforme bula do produto.