Polícia prende economista que matou a dubladora Cristiane Louise de Paula da Silva

De acordo com a Polícia Civil, a profissional foi assassinada em seu apartamento, em Ipanema

Vítima e suspeito juntos
Legenda: Amigos desde 2017, a vítima teria acolhido o suspeito em sua casa para ajudá-lo durante as crises
Foto: Reprodução

O economista Pedro Paulo Gonçalves, de 27 anos, foi preso preventivamente, nesta sexta-feira (13), acusado de matar a facadas a dubladora Christiane Louise de Paula da Silva, de 49 anos. O crime ocorreu em 22 de julho último. As informações são do G1 e do jornal O Globo.

De acordo com a Polícia Civil, a profissional foi assassinada em seu apartamento, em Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro. O suspeito era amigo da vítima e estava hospedado no imóvel. Eles se conheceram há quatro anos em uma clínica, onde fizeram tratamento psiquiátrico. 

Durante depoimento na Delegacia de Homicídios, o economista confessou a autoria crime, mas disse ter agido em legítima defesa. A versão foi descartada no inquérito policial. 

Entenda as circunstâncias do crime 

Christiane Louise, que morava sozinha, teria acolhido Pedro Paulo em sua casa há pouco mais de um mês. O suspeito estaria precisando de ajuda porque enfrentava crises psicológicas.

Familiares e amigos contaram que ele passou a ter uma chave da porta de entrada e era conhecido pelos funcionários do condomínio. 

Quando foi questionado sobre o sumiço da vítima, disse que a dubladora estava bem e havia viajado com um namorado para Mangaratiba, na Costa Verde fluminense.

Em primeiro depoimento, ele chegou a dizer que falou com a amiga pela última vez em 17 de julho, às 20h, mas ela teria saído de casa afirmando que ficara “off” por 15 dias e não usaria telefone. 

Investigações apontam quem motivação foi patrimonial 

Quando o mandado de busca e apreensão foi autorizado, ele mudou a versão. Paulo admitiu o crime, mas disse ter agido em legítima defesa porque a vítima estava em um ritual religioso e queria sangue dele. A Polícia desmentiu a versão.

O delegado Leandro Costa afirmou, ao O Globo, que ficou “comprovado com as investigações que a motivação do crime de fato é patrimonial”. 

Após cometer o crime, Pedro Paulo colocou roupas de Christiane Louise à venda na internet. De acordo com as investigações da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), ele ficou ainda com os laptops da vítima, avaliados em mais de R$ 10 mil. 

Ocultação do cadáver 

Corpo em saco plástico
Legenda: O corpo da dubladora foi encontrado envolto em sacos plásticos em Grumari
Foto: Arquivo pessoal

Após matá-la a facadas, ele ocultou o corpo com a ajuda da mãe, Eliane Gonçalves Vasconcellos da Costa, e de outra pessoa, que ainda não foi identificada. 

A mãe dele está foragida. Os restos mortais da dubladora foram encontrados envoltos por lençóis e sacolas plásticas numa área de vegetação em Grumari, na Zona Oeste. 

Quem era a dubladora

Christiane Louise de Paula da Silva, de 49 anos, deu voz a personagens da televisão, cinema e de jogos eletrônicos. Dentre eles, a Margarida, da Disney

Margarida da Disney
Foto: Divulgação

Ela também foi dubladora da Senhorita Morello, professora do protagonista no seriado "Todo mundo odeia o Chris". 

Stra. Morello, do seriado
Legenda: Stra. Morello, do seriado "Todo Mundo Odeia o Chris"
Foto: Reprodução

Christiane Louise participou da dublagem de animações de sucesso como "Os Simpsons", "Happy Feet: o Pinguim", "O espanta tubarões" e "Carros". 

Entre os games, Christiane Louise fez dublagens para títulos"Halo", "League of Legends" e "Overwatch".

Montagem do Instagram com personagens dublados pela vítma
Legenda: Alguns personagens dublados por Christiane Louise de Paula
Foto: Foto: Reprodução/Instagram

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil