Ex-governador do Paraná Jaime Lerner morre aos 83 anos em Curitiba

O político estava internado no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie, em Curitiba, desde o dia 21 de maio

Jaime Lerner
Legenda: Além de político, Lerner era arquiteto e escreveu diversos livros sobre a área
Foto: divulgação

O ex-governador do estado do Paraná Jaime Lerner faleceu aos 83 anos nesta quinta-feira (27). O político estava internado no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie, em Curitiba, desde o dia 21 de maio, após apresentar um quadro de febre. As informações são do G1

Lerner vinha realizando tratamento com hemodiálise há algum tempo, por isso, teria sido internador, informou o ex-chefe de gabinete do político, Gerson Guelmann, ao portal de notícias. 

O velório do ex-governador acontece na capela do Cemitério Israelita do Água Verde, em Curitiba. O sepultamento do político está previsto para às 15h no Cemitério Israelita do Santa Cândida. 

Em março, Lerner testou positivo para Covid-19 mesmo depois de já ter tomado duas doses da vacina contra o coronavírus. No entanto, ele ainda não estava no período de imunidade.

Nascido em 17 de dezembro de 1937, o político foi prefeito de Curitiba três vezes, entre os anos 1971 a 1974, de 1979 a 1993 e de 1989 a 1992. Ele foi eleito governador do estado do Paraná duas vezes, de 1995 a 1998 e 1999 a 2002.

O ex-governador se casou com Fani Lerner e teve duas filhas: Andrea e Ilana. A esposa morreu em maio de 2009, aos 63 anos. 

Formado em arquitetura em 1964 pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), ele atuou no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) desde a criação da instituição, em 1965.

Lerner também foi eleito presidente da União Internacional de Arquitetos (UIA), em 2002. O político fundou a entidade sem fins lucrativos Instituto Jaime Lerner. 

O arquiteto teve seis livros publicados, a maior parte deles tratando sobre planejamento urbano. Ele também recebeu prêmios e títulos internacionais, com destaque para o Prêmio Máximo das Nações Unidas para o Meio Ambiente, em 1990, e Unicef Criança e Paz, em 1996. 

Nos períodos que não ocupou cargos públicos, Lerner desenvolveu planos urbanísticos para várias cidades do Brasil, como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Salvador, Aracaju, Natal, Goiânia, Campo Grande e Niterói.

Em 2013, ele recebeu da Associação Comercial do Paraná (ACP) a Comenda Barão do Serro Azul, como grande personalidade paranaense e urbanista de reconhecimento mundial.

Governo estadual 

Nos dois mandatos como governador do Paraná, Lerner atuou na privatização do Banco do Estado do Paraná (Banestado) e na tentativa de venda da Companhia Paranaense de Energia (Copel), que acabou não sendo privatizada por falta de compradores.

Ele também desenhou o plano do Anel de Integração, que concedeu as principais rodovias do estado às empresas privadas para que os trechos fossem reformados.

Sob sua chefia, o Estado se tornou o polo da indústria automobilística. Através de incentivos fiscais e empréstimos concedidos pelo governo estadual às empresas, Lerner conseguiu atrair montadores multinacionais para se instalarem no Paraná.

Condenações 

Em 2011, Lenrer foi condenado a três anos e meio de prisão ter feito um aditivo contratual não previsto na licitação original que estendeu a concessão das BR-476 e PR-427. Ele não chegou a ser preso, e a pena foi convertida em multa.

Já em 2013 ele recebeu outra condenação, dessa vez por improbidade administrativa em um processo sobre pagamento irregular de indenizações a donos de áreas desapropriadas em Cascavel, no oeste do estado.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil

Assuntos Relacionados