'Carro do ovo' dá golpe de R$ 1.016 em casal de São Paulo

O marido da vítima tentou pagar o valor por aproximação no cartão, mas o vendedor falou que não passava, e pediu a senha

carro do ovo passando em rua
Legenda: O vendedor, que se locomovia em um carro com uma mulher, usava uma máquina que tinha um visor que dificultava a visualização do valor debitado
Foto: Reprodução

Um casal de Guarujá, litoral paulista, foi vítima de um golpe de R$ 1.016 por um vendedor que passava com o "carro do ovo". A bandeja de ovos custava R$ 16, mas o valor foi adulterado pelo golpista. O caso aconteceu no dia 16 de maio no bairro Vila Santa Rosa. 

Assustada com o crime, a mulher, que deu entrevista ao G1, mas preferiu não se identificar, disse que não comeu o alimento: "Eu não comi o ovo, não, fiquei desesperada. Já não confio em mais nada da pessoa".

O marido da vítima tentou pagar o valor por aproximação no cartão, mas o vendedor falou que não passava. Ele então colocou a senha. Foi o momento que o homem começou a enganar a vítima.

"Aí ele [vendedor] falou que não estava passando, foram e trocaram a máquina, aí eles ficaram conversando sobre o carro, colocou o cartão na outra maquininha, meu marido pegou e colocou a senha", relata a mulher. 

O vendedor, que se locomovia em um carro com uma mulher, usava uma máquina que tinha um visor que dificultava a visualização do valor debitado.

Valor errado 

O golpe só foi percebi quando a vizinha comentou estar esperando o carro do ovo retornar: "Só percebi porque a minha vizinha da frente, eu estava em casa, mas ela pegou e falou 'moço, quero ovo', e ele falou para esperar um pouquinho, que daria volta e já voltava lá".

A vítima então perguntou ao marido se ele havia pedido alguma nota. Ele respondeu que não, então a mulher foi olhar o extrato e percebeu os R$ 1 mil a mais. O casal saiu procurando os golpistas, mas sem sucesso. 

O banco Itaú Unibanco disse, em nota ao G1, que o caso já está sendo resolvido por eles, que estão em contato com a cliente. A Delegacia de Guarujá vai investigar o caso. 

"O Itaú reforça que, ao ser vítima de golpes ou fraudes em que o próprio cliente digita a senha pessoal e transfere valores aos golpistas, é necessário contatar imediatamente o banco para bloqueio temporário de senhas, produtos ou serviços e para que seja possível realizar o procedimento de tentativa de bloqueio do valor na conta favorecida", alertou a instituição financeira. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil