Vulcão Etna entra em erupção na Itália e provoca chuva de pedras

O fenômeno não colocou em risco as aldeias vizinhas

O vulcão siciliano Etna, muito próximo à cidade portuária de Catânia, na costa leste da Itália, teve uma nova erupção nesta terça-feira (16). Embora sem perigo, o fenômeno causou uma chuva de pequenas pedras vulcânicas e cinzas na cidade, cujo aeroporto permaneceu fechado.

O afundamento de uma parte da cratera na encosta sudeste do famoso vulcão causou um transbordamento e um deslizamento de lava ao longo do flanco ocidental que, no entanto, não colocou em risco as aldeias vizinhas, ressaltou um funcionário do Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV) para a agência Agi. 

"Já vimos situações piores", comentou Stefano Branca, diretor do INGV de Catânia, considerando que este fenômeno que começou no final da tarde "não foi nada preocupante". 

Os bombeiros disseram em um tuíte no início da tarde que, mesmo assim, estavam monitorando a evolução da situação em três pequenas cidades nos arredores do vulcão: Linguaglossa, Fornazzo e Milo. 

As imagens da erupção mostram uma coluna de cinzas rosa no topo do cume coberto de neve do vulcão. Ao anoitecer, a nuvem já havia se dissipado, mas o Etna continuou a despejar vários fluxos de lava incandescente. 

Vulcão Etna

O Etna, com uma área de cerca de 1.250 km², é o vulcão ativo mais alto (3.324 m) da Europa, com erupções frequentes há cerca de 500 mil anos. O mais recente foi no fim de janeiro.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo