Trump diz que Congresso não pode submetê-lo a um impeachment

O presidente americano afirmou que não cometeu nenhum crime, portanto não pode ser tirado do cargo

Legenda: O relatório confirmou que agentes russos tentaram interferir nas eleições de 2016 para ajudar Trump a derrotar a candidata democrata Hillary Clinton, mas que não houve um acordo deliberado para isto
Foto: Foto: Joe Raedle / Getty Images North America / AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta segunda-feira (22) que o Congresso não pode acusá-lo pelas conclusões do relatório de Mueller sobre a interferência eleitoral da Rússia e supostas tentativas do presidente de impedir a investigação.

"Apenas crimes graves e infrações menores podem levar a um julgamento político. Eu não cometi nenhum crime (ou conluio, ou obstrução), então não se pode fazer um impeachment", declarou Trump no Twitter.

"Foram os democratas que cometeram os crimes, não seu presidente republicano!", acrescentou.

Um documento de 400 páginas resumindo as descobertas da investigação de 22 meses do promotor especial Robert Mueller sobre a trama russa, tornada pública na quinta-feira (18), absolveu Trump do conluio com Moscou.

Durante a investigação, Trump tentou repetidamente obstruir o trabalho de Mueller, segundo o relatório, mas o promotor especial disse não ser possível decidir se o presidente havia cometido o crime de obstrução da Justiça.

O relatório confirmou que agentes russos tentaram interferir nas eleições de 2016 para ajudar Trump a derrotar a candidata democrata Hillary Clinton, incluindo invasão de contas de e-mail.

Além disso, apontou que a equipe de campanha de Trump aproveitou o impacto sobre Hillary, mas não por meio de um acordo deliberado para conspirar com os russos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo