Teleférico cai e deixa 14 mortos em Stresa, na Itália

Além dos óbitos, autoridades locais informaram que duas crianças de cinco e nove anos estão em estado grave

Acidente em teleférico da Itália
Legenda: Bombeiros italianos fizeram o resgate dos corpos após a queda do teleférico às margens do Lago Maggiore
Foto: Handout/Vigili del Fuoco/AFP

Uma cabine de teleférico em Stresa, na Italia, caiu às 12h30 (7h30 no horário de Brasília) deste domingo (13) e provocou a morte de 14 pessoas. Duas crianças de cinco e nove anos foram socorridas com quadro clínico considerado grave e uma delas, o menino de nove anos, resistiu aos ferimentos. O número definitivo foi repassado por serviços locais de resgate.

O popular teleférico turístico conecta em 20 minutos a cidade de Stresa com o monte Mottarone, que culmina a quase 1.500 metros e oferece uma vista privilegiada dos Alpes e do lago Maior. O teleférico esteve fechado entre 2014 e 2016 para trabalhos de manutenção.

"O saldo definitivo do trágico acidente é de 13 mortos e dois feridos graves, transportados por helicóptero a Turin", informaram.

Rompimento de cabo

Em nota, o ministério de Infraestruturas informou que a acidente ocorreu a 100 metros da última estação de altura do teleférico e pode ter acontecido pelo rompimento de um cabo, provocando a queda da cabine.

O ministro das Infraestruturas, Enrico Giovanni, anunciou a criação de uma comissão de investigação. "É um fato dramático que avaliamos com a maior atenção", disse. 

Imagens das autoridades mostram bombeiros e policiais em torno dos restos da cabine em uma área arborizada cujo declive íngreme dificulta o acesso. 

Luisa Tesserin, uma estudante de 27 anos de Gênova, passava o fim de semana no lago.

"Vim a Stresa com os amigos para subir o Mottarone porque a vista é extraordinária. Pegamos o teleférico uma hora antes da tragédia. Quando subimos, não notamos nada estranho no fio, tudo estava normal", disse à AFPTV.

Acidente em teleférico na Itália
Legenda: O teleférico despencou a 100 metros de altura
Foto: STRINGER/ANSA/AFP

Reações

O primeiro-ministro Mario Draghi expressou em um comunicado sua "profunda dor".

O presidente da região piemontesa, Alberto Cirio, declarou estar "devastado". "É uma tragédia enorme, que nos deixa sem fôlego", reagiu. 

O chefe de Liguria, região vizinha de Piemonte, lamentou uma "tragédia absurda" ocorrida em um momento em que a Itália aproveita o desconfinamento, após meses de restrições sanitárias. "Um domingo de reabertura que deveria ser portador de esperanças", disse Giovanni Toti.

Charles Michel, presidente do Conselho Europeu, expressou no Twitter, em uma mensagem em italiano, suas "mais sinceras condolências às famílias e aos amigos que perderam entes queridos neste trágico acidente".

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo