Sanders chega às primárias de New Hampshire como favorito

Mantida em um tom relativamente cortês, a batalha pela indicação do Partido Democrata começou a encrespar nas últimas semanas, sob o olhar atento de Trump, que aproveita para alfinetar e desmoralizar seus adversários

Legenda: Autointitulado socialista, Sanders chega como favorito ao primeiro estado a votar com cédulas, depois do caos registrado no "caucus" de Iowa, na semana passada
Foto: AFP

Os democratas enfrentam, nesta terça-feira (11), suas segundas primárias, agora em New Hampshire, com duas visões contrárias sobre a melhor aposta para enfrentar o presidente Donald Trump em novembro: a via progressista do senador Bernie Sanders e o plano moderado do ex-prefeito Pete Buttigieg.

Autointitulado socialista, Sanders chega como favorito ao primeiro estado a votar com cédulas, depois do caos registrado no "caucus" de Iowa, na semana passada. Lá, Buttigieg se impôs por uma estreita margem.

Atrás da dupla, os demais esperam ser o fator surpresa da vez e alavancar suas pré-candidaturas, ou pelo menos evitar que naufraguem.

O desempenho do ex-vice-presidente Joe Biden estará sob forte escrutínio. Depois de liderar as intenções de voto em nível nacional, Biden ficou em segundo lugar pela primeira vez, na segunda-feira (10), sendo ultrapassado por Sanders, aponta uma pesquisa da Universidade Quinnipiac.

Segundo a média das sondagens em New Hampshire, Biden chega em quarto, junto com a senadora progressista Elizabeth Warren, e atrás da senadora moderada Amy Klobuchar.

Fator Bloomberg
A pequena localidade de Dixville Notch deu a largada, abrindo as portas para votação à meia-noite, como fazem desde a década de 1960, para mostrar o fervor com que vivem estas primárias. A grande maioria dos eleitores se concentrará, porém, no horário das 6h locais (9h em Brasília) às 20h (22h em Brasília).

"Temos um certo orgulho de estar aqui", disse Tom Tillotson, encarregado da votação. "Levamos isso muito a sério", afirmou. "Nós nos sentimos honrados de sermos, basicamente, a largada para o processo eleitoral primário", completou.

O milionário Michael Bloomberg surpreendeu e venceu nesta localidade, com um voto republicano e dois democratas. Buttigieg e Sanders obtiveram um voto cada.

Buttigieg saiu cedo para cumprimentar os eleitores nas ruas, com os quais tirou várias selfies. Já o ex-vice-presidente Joe Biden convocou as pessoas a irem votar. "Hoje é o dia", tuitou de manhã.

Com apenas 1,3 milhão de habitantes, o estado tem um peso importante nas eleições e pode reduzir ainda mais o número de pré-candidatos na corrida.

Ataques de Trump 
Mantida em um tom relativamente cortês, a batalha pela indicação do Partido Democrata começou a encrespar nas últimas semanas, sob o olhar atento de Trump, que aproveita para alfinetar e desmoralizar seus adversários.

Na corrida pela reeleição em 3 de novembro, Trump organizou um comício em New Hampshire na segunda-feira à noite. "Não se esqueçam, os democratas de Washington nunca foram tão extremistas", denunciou o republicano a uma animada multidão. "Estamos salvando seu sistema de saúde, enquanto os democratas socialistas tentam tirar seu sistema de saúde", acrescentou, mirando em a Sanders.

Em um momento em que a corrida pelas primárias começa a decantarse, Sanders, o decano da disputa com 78 anos, defende sua "revolução" política contra a desigualdade e chega como favorito ao estado. New Hamsphire é vizinho do distrito pelo qual ele é senador, Vermont.

"O que passei aqui vai ter enormes consequências", disse ele nos últimos dias a seus simpatizantes em New Hampshire. Também criticou seus rivais mais moderados, recriminando-os por aceitarem doações de milionários, ao contrário de sua campanha, que está batendo recordes de arrecadação, graças a pequenas contribuições individuais.

Já Buttigieg, ex-prefeito de South Bend, de 38 anos, defende uma política que classifica como "realista" e, com frequência, dirige-se aos eleitores republicanos durante os debates. Ele é veterano da Guerra do Afeganistão e também o primeiro pré-candidato abertamente homossexual com chances de chegar à Casa Branca.

Enquanto Sanders defende uma reforma profunda do sistema de saúde em um país industrializado onde milhões de pessoas não têm seguro de saúde, Buttigieg critica os custos deste plano e afirma que seu concorrente não sabe como financiá-lo.

Atrás deles, está Biden, de 77, que se apresenta como a melhor opção para derrotar Trump. Parecendo já admitir uma derrota em New Hamsphire, prometeu não abandonar a corrida, não importando o resultado desta etapa.

Biden acreditar que terá números favoráveis em Nevada, na próxima semana, ou na Carolina do Sul, no dia 29. Se acumular derrotas sucessivas, porém, esta estratégia poderá sucumbir à seca na fonte de recursos de campanha.

Surgimento de Bloomberg
Em sua luta para se manter na disputa, Biden atacou o flanco mais vulnerável de Buttigieg, insistindo em sua falta de experiência em nível nacional e apontando que sua trajetória se limita à gestão de uma localidade de 100.000 habitantes.

Em contrapartida, Biden ressalta o que garante ser uma longa experiência adquirida no Senado e os oito anos que passou na Casa Branca. Sua mensagem encontra eco em muitos eleitores.

Depois de participar de um comício em Nashua, New Hampshire, no domingo, Katie Morgan, de 20, disse à AFP que Pete lhe parecia um candidato "interessante", mas que, pessoalmente, preferia alguém com "um pouquinho mais de experiência".

Biden também tenta enfraquecer a autoidentificação de socialista de Sanders, alegando que, com um candidato mais à esquerda, derrotar Trump nas eleições de novembro será "mais complicado".

Outra surpresa da pesquisa publicada na segunda-feira é o surgimento da candidatura do ex-prefeito de Nova York Mike Bloomberg, que passou de oito para 15 pontos. A aposta é alta: foram cerca de US$ 260 milhões de sua fortuna pessoal investidos na própria campanha.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo