Saída do Reino Unido da União Europeia pode favorecer o Brasil

Após a festa histórica que marcou, ontem, a concretização do Brexit, começa a fase de negociação de acordos comerciais; Brasil está entre os alvos britânicos

Legenda: Imagem do Big Ben às 23h foi projetada na fachada da residência do premiê em Londres; Parlamento Europeu recolheu bandeira britânica em Bruxelas
Foto: Fotos: AFP

Mais de três anos e meio após os britânicos votarem pela saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit finalmente se concretizou, às 20h (horário de Brasília) de ontem. Adiado duas vezes, o "fim do casamento" só foi possível após a renúncia da premiê Theresa May, eleições parlamentares e incontáveis horas de debate no Parlamento. A partir de hoje, o país entra em um período de transição que se estenderá até dezembro, no qual novas e complicadas negociações serão realizadas para definir os detalhes e acordos que marcarão a nova fase.

Com o Reino Unido fora da UE, alimenta-se a expectativa de um acordo de livre comércio com o Brasil. Autoridades dos dois países já conversam informalmente sobre a possibilidade de lançarem as negociações para um acordo de livre comércio entre os britânicos e o Mercosul em 2021. Segundo fontes envolvidas no assunto, terá como vantagens a redução a zero da maioria das tarifas de importação e a expansão de cotas na importação de produtos agrícolas.

Exportações

As exportações brasileiras podem se beneficiar do Brexit. Em 2018, pouco mais de 1.700 empresas brasileiras exportaram cerca de US$ 3 bilhões em bens para o Reino Unido. O país é a quinta maior economia mundial e um dos principais mercados importadores globais, com importações equivalentes a 32% de seu PIB (£ 658 bilhões ao ano, em 2018). No setor de alimentos e bebidas, por exemplo, importa 50% do que consome. Com o Brexit, empresas brasileiras do setor poderiam disputar novas fatias desse mercado.

Segundo um estudo da consultoria alemã Bertelmann, o Brasil poderia obter ganhos comerciais de até 1,7 bilhão de euros ao ano em cenário de maior afastamento britânico do mercado comum europeu e de 940 milhões de euros ao ano em cenário de maior proximidade do bloco europeu.

Festa

Ontem, o nacionalismo teve seu dia de festa. Defensores do Brexit se reuniram com bandeiras britânicas para comemorar diante do Parlamento de Westminster, que durante três anos foi cenário dos intensos debates sobre este marco na história recente do país.

"Com todo o respeito pelos cidadãos europeus, mas a UE é uma farsa, desde que entramos e estou muito feliz por estarmos partindo", disse Wayne Green, 48 anos.

Algumas pessoas queimaram uma bandeira europeia. A poucos metros, os críticos do Brexit, entre eles jovens que não votaram no referendo de 2016, caíam no choro. "Sinto pena, tristeza. É muito terrível que isso esteja realmente acontecendo", disse Katrina Graham, de 31 anos.

Como o Brexit afeta os brasileiros

Turismo

O que acontece com brasileiros viajando para o Reino Unido a turismo? Atualmente os brasileiros estão isentos de visto, e os britânicos também indicaram que não há perspectiva de acabar com isso.

Imigrantes

Os brasileiros que não têm cidadania europeia precisavam de visto e permissão de residência antes mesmo do Brexit. Assim, a saída da União Europeia pouco deve afetar os cidadãos do Brasil que vivem legalmente em território britânico. Aqueles com cidadania europeia (exceto britânica) e que vivem naquele país deverão requerer autorização de residência até junho de 2021.

Intercâmbio

Existe a expectativa de uma abertura maior para intercâmbio estudantil, turismo, contratação de profissionais estrangeiros qualificados. Mas isso dificilmente se concretizará até o fim deste ano, prazo que os britânico têm para negociar um acordo sobre quais serão as regras de convivência e comércio com os países da União Europeia a partir de 2021.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo