Polícia dos EUA encontra carro e restos mortais que seriam de mulher desaparecida há 43 anos

Mergulhadores acharam veículo com características do de Alberta Leeman, desaparecida em julho de 1978

Foto em preto e branco de Alberta Leeman, desaparecida em 1978
Legenda: Idosa de 63 anos desapareceu em julho de 1978
Foto: divulgação/Polícia de New Hampshire

Um mistério de 43 anos pode estar próximo do fim nos Estados Unidos. A Polícia de New Hampshire informou que um grupo de mergulhadores encontrou, na sexta-feira (6), restos mortais em um carro submerso que podem ser de uma mulher desaparecida em julho de 1978.  As informações são do jornal O Globo.

A investigação preliminar indica que o veículo descoberto no Rio Connecticut tem as mesmas características do carro pertencente a Alberta Leeman, com 63 anos na ocasião do sumiço. O desaparecimento não é considerado suspeito.

"O veículo que foi encontrado é um Pontiac LeMans 1972 com uma placa OB610, a mesma que foi registrada com a Sra. Leeman naquela época", afirmou o tenente Robert Mancini ao canal de TV estadunidense WMUR.

O carro foi achado a cerca de um quilômetro (km) da ponte Mt. Orne Covered, que conecta as cidades de Lancaster, no estado de New Hampshire, a Lunenburg, em Vermont. O automóvel ficou, possivelmente, submerso por anos, mas foi encontrado por meio de um equipamento especializado, cuja tecnologia é mais avançada.

Os investigadores informaram que, até o momento, não foram apontados suspeitos no caso, além de que ainda tentam descobrir como o veículo chegou ao rio. Eles pediram, em comunicado, que qualquer informação que ajude a resolver a ocorrência seja compartilhada com as autoridades.

Com base na investigação até o momento, os policiais avaliam que parece não haver perigo para o público em relação ao incidente.

Repercussão

O anúncio repercutiu entre os moradores do local, que se surpreenderam com a volta do caso à tona. "Louco como avanços tecnológicos têm feito a resolução de casos arquivados ser possível", disse um perfil em publicação que a Polícia de New Hampshire fez sobre o caso.

Na postagem, apareceram inclusive familiares e pessoas próximas à vítima, que comentaram informações sobre Alberta.

Um deles, Robert Tyler, identificou-se como sobrinho da mulher desaparecida. "Eu estava na Força Aérea quando ela desapareceu. Caso muito estranho. Meu pai passou anos à procura do carro dela pelas estradas e faleceu sem saber o que aconteceu com a irmã. Descanse em paz, tia Alberta, todos nós amamos você".

Outra usuária da rede social, Anne Daisey, afirmou ter sido uma das últimas pessoas a ver Alberta viva, acrescentando que ela estava animada para ver uma pessoa que seria sua filha ou sobrinha. Uma mulher chamada Stacey Carri pontuou que ela era a pessoa em questão  — ela viera da Flórida e estava grávida da primeira bisneta da vítima.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados