Peso argentino se fortalece após eleição de presidente peronista

A taxa de câmbio na abertura era de 63 pesos por dólar americano, mas sem operações, à espera de o Banco Central atualizar os sistemas após impor um severo controle cambial com no máximo 200 dólares para cada indivíduo

As casas de câmbio argentinas abriram nesta segunda-feira (28) com uma cotação do peso fortalecido em 3,17%, após a eleição no domingo à presidência do peronista Alberto Fernández, que assume em 10 de dezembro em substituição ao liberal Mauricio Macri. 

A taxa de câmbio na abertura era de 63 pesos por dólar americano, mas sem operações, à espera de o Banco Central atualizar os sistemas após impor um severo controle cambial com no máximo 200 dólares para cada indivíduo.

O valor do peso nas transações com operadores financeiros permanece em 75 pesos por dólar e, naquelas com Wall Street, em 81 pesos, segundo portais de Internet especializados.

O Banco Central da Argentina reforçou ao máximo o controle cambial imposto em setembro com limites de até 10.000 dólares por mês para a aquisição de pessoas físicas. Com a nova modalidade, impôs uma restrição à venda de dólares para poupança, a fim de evitar a perda de reservas internacionais.

"As reservas caíram 22 bilhões de dólares (a 43 bilhões na última sexta-feira)", desde as eleições primárias de 11 de agosto, disse nesta segunda-feira em entrevista coletiva o presidente da instituição, Guido Sandleris.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo