Nova York levanta toque de recolher imposto por protestos

A medida foi suspensa um dia antes do retorno das atividades econômicas

Legenda: Polícia de Nova York durante protestos contra racismo e violência policial
Foto: AFP

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, suspendeu neste domingo (7) o toque de recolher que vigorou por quase uma semana, enquanto protestos antirracistas tomavam as ruas da cidade e de várias outras nos Estados Unidos, espalhando-se também por outros países.

"Ontem e na noite passada vimos o melhor da nossa cidade", tuitou de Blasio e anunciou que o fim do toque de recolher de "efeito imediato".

A medida, entre as 20h e as 5h, foi tomada na cidade pela primeira vez em 75 anos e cessou um dia antes do início da reabertura econômica gradual após mais de dois meses de confinamento contra o coronavírus.

Reabertura

Nesta semana, Nova York entrará na fase um do plano de reativação da economia do estado, paralisada por medidas contra o coronavírus que matou mais de 21.000 em sua cidade mais populosa.

A primeira etapa da reabertura permitirá a retomada das atividades nos setores de manufatura e construção. Os comércios terão acesso restrito.

O controverso toque de recolher foi prorrogado em 2 de junho e começava 20 minutos antes do pôr do sol, depois que várias lojas sofisticadas de Manhattan foram saqueadas em meio a protestos maciços contra a brutalidade policial.

Marchas

O segundo fim de semana de manifestações, desencadeadas pela morte de George Floyd, um homem negro desarmado pelas mãos da polícia em Minneapolis, provocou marchas massivas, na maior parte pacíficas.

Muitos manifestantes no sábado desafiaram o toque de recolher em Nova York, mas foram ignorados pela Polícia, que respondeu agressivamente nas noites anteriores contra aqueles que o violaram. Na semana passada, redes sociais mostraram imagens de policiais prendendo manifestantes, bloqueando-os e até atingindo-os com bastões.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados