Ministro chinês afirma que votação no Congresso americano quer destruir Hong Kong

O Congresso dos Estados Unidos aprovou na quarta-feira uma resolução de apoio aos "direitos humanos e à democracia" em Hong Kong e ameaçou suspender o estatuto econômico especial concedido por Washington à ex-colônia britânica

Legenda: O objetivo do texto aprovado em Washington é "semear o caos ou inclusive destruir Hong Kong", afirmou Wang Yi
Foto: AFP

O ministro chinês das Relações Exteriores, Wang Yi, advertiu nesta quinta-feira que a adoção de uma lei de apoio aos manifestantes pró-democracia de Hong Kong no Congresso americano significa um estímulo aos "criminosos violentos".

O objetivo do texto aprovado em Washington é "semear o caos ou inclusive destruir Hong Kong", afirmou Wang Yi, de acordo com um comunicado publicado pelo ministério.

O Congresso dos Estados Unidos aprovou na quarta-feira uma resolução de apoio aos "direitos humanos e à democracia" em Hong Kong e ameaçou suspender o estatuto econômico especial concedido por Washington à ex-colônia britânica. O texto precisa ser promulgado por Donald Trump, que a princípio deve aprová-lo, de acordo com uma fonte próxima ao caso.

O chefe da diplomacia da China acrescentou que seu país "nunca permitirá o prejuízo à prosperidade e estabilidade de Hong Kong, nem ao princípio de 'um país, dois sistemas' pelo qual a ex-colônia britânica, devolvida à soberania chinesa em 1997, é um território semiautônomo que conserva um sistema político e econômico próprio.

Hong Kong é cenário de um grande movimento de protesto que começou em junho como rejeição a um projeto de lei, depois abandonado, que pretendia autorizar extradições para a China continental. Desde então, os manifestantes ampliaram suas reivindicações para exigir reformas democráticas e uma interferência menor do governo de Pequim no território.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo