Joe Biden lista prioridades: pandemia, crise, clima e igualdade racial

A plataforma online da transição presidencial foi lançada neste domingo (8)

O perfil oficial acrescentou que o governo democrata terá pela frente uma tarefa inédita na história americana
Legenda: Kamala Harris e Joe Biden
Foto: Andrew Harnik / POOL / AFP

A chapa vencedora da eleição dos Estados Unidos, formada pelos presidente eleito Joe Biden e a vice-presidente eleita Kamala Harris, lançou neste domingo (8) a plataforma online da transição presidencial e listou como principais desafios a pandemia, a crise econômica, o clamor por justiça racial e as mudanças climáticas.

"Estamos nos preparando para liderar no Dia Um, assegurando que a administração Biden-Harris é capaz de lidar com os desafios mais urgentes que enfrentamos: protegendo e preservando a saúde de nossa nação, renovando nossas oportunidades de ter sucesso, avançando na igualdade racial e enfrentando a crise climática", publicou na internet o perfil oficial da transição, que teve sua mensagem republicada por Biden no Twitter.

O perfil oficial acrescentou que o governo democrata terá pela frente uma tarefa inédita na história americana, e a preparação para enfrentá-la "será guiada por especialistas, pela ciência e com caráter".

Em relação à pandemia, os democratas se comprometem, entre outras promessas, a ser pautados pela ciência, a consultar profissionais de saúde pública para decisões de saúde pública, a promover confiança e transparência e a assegurar que todo americano tenha acesso regular a testes confiáveis de Covid-19.

Primeira mulher (e primeira negra) a ser eleita para a vice-presidência dos Estados Unidos, Kamala Harris usou o Twitter neste domingo para reforçar declarações de seu discurso proferido na noite de sábado (7), em que homenageou a mãe e "gerações de mulheres negras que vieram antes dela e acreditaram profundamente que um momento como esse era possível nos Estados Unidos". "Eu espero que cada garotinha assistindo esta noite veja que este é um país de possibilidades", repetiu a democrata.

Já o presidente, Donald Trump, voltou a fazer acusações de fraude contra a eleição na rede social, que sinalizou aos usuários que as alegações não eram comprovadas.

O candidato à reeleição publicou que havia problemas na autenticação dos votos feitos pelo correio, que decidiram a eleição em estados chave para sua derrota, como a Pensilvânia. O Twitter marcou as postagens com um link que explica que o voto pelo correio é legal e seguro nos Estados Unidos, especialmente em meio à pandemia.

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, que também concorreu à reeleição, não se manifestou no Twitter. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo