Idoso de 72 anos fica infectado com Covid por quase um ano na Inglaterra

Ao todo, Dave Smith testou positivo para a doença em 43 exames, foi internado sete vezes e perdeu mais de 60 quilos

Dave Smith
Legenda: Aposentado chegou a planejar o próprio enterro e separou uma lista de música para tocar na ocasião
Foto: reprodução/TV Globo

O britânico Dave Smith, de 72 anos, passou 11 meses com Covid. Após descobrir um câncer em 2018, e passar por uma cirurgia no coração no ano seguinte, o aposentado, que mora em Bristol, Inglaterra, foi diagnosticado com a doença pela primeira vez em março de 2020, e seguiu com ela até abril de 2021. Ao todo, foram 43 testes positivos para o coronavírus. As informações são do Fantástico.    

"Fiquei com os dois pés na cova"
Dave Smith
aposentado
  

Com a imunidade baixa após controlar o problema oncológico, a infecção pelo SARS-CoV-2 no idoso provocou sete internações e a perca de mais de 60 quilos nesse quase um ano com o vírus. Geralmente, o período de infecção causada pela doença é de cerca de 15 dias.  

"Teve um dia que comecei a tossir às 5 horas da manhã e simplesmente não parava, não dava nenhum intervalo. Só foi parar às 10 horas da manhã. Quando acabou, parecia que eu tinha sido atropelado por um caminhão", relembra. 

Os médicos não sabem como Dave conseguiu se recuperar após tanto tempo com a doença, que já causou a morte de mais de 4,2 milhões de pessoas no mundo. A infecção do idoso foi a mais longa que se tem registro. 

"Foram meses difíceis. Dave nunca precisou ir para a UTI, mas a infeção ia deixando ele muito, muito fraco. A gente sabia que se não conseguisse mudar alguma coisa, ele acabaria morrendo”, conta o médico Ed Moran, que acompanhou o caso do idoso. 

Dave Smith
Legenda: O idoso perdeu 64 quilos ao longo do período infectado com o coronavírus
Foto: reprodução/ TV Globo
 

A equipe de profissionais usou tratamentos experimentais que podem ter o ajudado. O caso está sendo estudado por cientistas da Universidade de Bristol, que desejam entender como o coronavírus conseguiu se esconder e sofrer mutação no organismo do britânico.  

No final do ano passado, após oito meses com doença e mais de 30 testes positivos, o aposentado concluiu ser questão de tempo até falecer e, próximo ao Natal, resolveu conversar com cada um dos familiares e se despedir, em especial dos filhos.   

"Sempre considerei que não tinha sido um bom pai, que trabalhei demais. Precisava me desculpar. Até com minha ex-mulher, que veio aqui com o atual marido, eu fiz as pazes. Aquilo me tirou um peso muito grande" 
Dave Smith
aposentado
  

Dave chegou a planejar como seria o próprio enterro. Ligou para a funerária e ainda preparou a lista de músicas que deveria tocar na ocasião, entre elas o sucesso do norte-americano Neil Diamond, "Sweet Caroline".   

Dave Smith
Legenda: Dave chegou a cogitar que morreria e decidiu se despedir dos familiares
Foto: reprodução/TV Globo

Em 16 de março deste ano, o teste para a doença deu negativo pela primeira vez. O resultado foi comemorado.  

"Nós abrimos uma garrafa de champanhe que tínhamos há uns 20 anos e acabamos com ela. Fiquei zonzo", conta rindo.  

Recuperado há quase cinco meses, Dave segue com algumas sequelas causadas pela Covid. Ele continua sem olfato e perdeu parte do fôlego.   

“Não quero pular de asa-delta, não quero nadar com golfinho Só quero viver minha vidinha normal. Tenho visto mais meus amigos e passado mais tempo com minha mulher, que foi incrível”.  

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo