Grupos rivais na Líbia aceitam transformar trégua em cessar-fogo duradouro

A Líbia está imersa no caos desde a queda e a morte de Muammar Kadafi em 2011. A comunidade internacional teme que o conflito neste país se degenere e se transforme em algo semelhante ao que está acontecendo na Síria

Os grupos rivais líbios, que negociam em Genebra desde segunda-feira (3), concordaram em transformar a "trégua em um cessar-fogo duradouro" e, agora, devem definir como atingirão esse objetivo. O anúncio foi feito pelo enviado da ONU para a Líbia, Ghassan Salamé.

Desde abril, as forças do marechal Khalifa Haftar, que controla o leste do país e quer conquistar Trípoli, opõem-se às de Fayez al-Sarraj, chefe do Governo de União Nacional (GNA), reconhecido pela ONU.

Turquia quer acordo com Rússia para evitar conflito na Líbia

Pela primeira vez, autoridades militares de ambos os lados se reuniram em Genebra, onde são realizadas negociações indiretas, comemorou Salamé. Essa comissão militar é composta por cinco membros de cada uma das partes no conflito.

"Começamos a negociar com as partes uma longa lista de pontos da agenda, começando com a transformação da trégua em um cessar-fogo verdadeiro e duradouro. A ideia foi adotada na primeira sessão e agora a questão é saber quais são as condições" para atingir esse objetivo, disse Salamé a repórteres.

"Existe uma disposição real das partes de se sentarem juntas e começarem a negociar", acrescentou.

A Líbia está imersa no caos desde a queda e a morte de Muammar Kadafi em 2011. A comunidade internacional teme que o conflito neste país se degenere e se transforme em algo semelhante ao que está acontecendo na Síria.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo