Gal Gadot lamenta confrontos entre Israel e Palestina e diz rezar por vítimas

Atriz de origem israelense comentou sobre os conflitos nas redes sociais, nesta quarta-feira (12)

Gal Gadot lamenta guerra
Legenda: A interprete da Mulher Maravilha diz rezar por todas as vitimas dos confrontos
Foto: Reprodução

Interprete da Mulher Maravilha, a atriz Gal Gadot lamentou nas redes sociais, nesta quarta-feira (12), os conflitos recentes entre Israel e grupos palestinos, que já resultaram em mais de 50 mortos. 

De origem israelense, Gal diz que se preocupa com família, amigos e fala que seu país merece viver em paz, assim como seus vizinhos.

"Meu coração está partido. Meu país está em guerra. Eu me preocupo com minha família, meus amigos. Eu preocupo meu povo. Este é um ciclo vicioso que já dura há muito tempo. Israel merece viver como uma nação livre e segura, nossos vizinhos merecem o mesmo", afirma.

A atriz também diz rezar por todas as vítimas e por uma resolução pacífica entre os países envolvidos nos confrontos.

"Rezo pelas vítimas e suas famílias, rezo para que essa hostilidade inimaginável termine, rezo para que nossos líderes encontrem a solução para que possamos viver lado a lado em paz. Eu rezo por dias melhores".

Até o momento, os confrontos deixaram pelo menos 48 palestinos mortos em Gaza — incluindo 14 menores de idade e três mulheres -, além de dois palestinos falecidos na Cisjordânia ocupada e cinco israelenses.

Na terça-feira (11), um ataque aéreo de Israel derrubou um prédio de 12 andares em Gaza. Edifícios próximos também foram afetados. Em resposta, o grupo palestino Hamas disparou 130 foguetes contra Tel Aviv, em Israel. 

O exército israelense afirmou que, desde segunda-feira (10), grupos palestinos lançaram mais de mil foguetes contra Israel. Quase 850 foram interceptados pelo sistema de defesa ou caíram em Israel, segundo o porta-voz israelense Jonathan Conricus.

Outros 200 caíram dentro da Faixa de Gaza - território palestino na fronteira entre Israel e Egito disputado pelos israelitas. 

Os bombardeios israelenses em Gaza deixaram pelo menos doze crianças mortas mais de 300 feridos, segundo balanço do ministério da Saúde do território palestino.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo