Ex-chefe de campanha de Trump é sentenciado por fraude a 3 anos e 11 meses de prisão

Paul Manafort foi considerado culpado por oito das 18 acusações que existiam contra ele; entre os crimes praticados por ele estão fraude fiscal e bancária

Legenda: Paul Manafort enriqueceu trabalhando para políticos ucranianos pró-Rússia antes de participar da campanha eleitoral de Trump
Foto: Foto: Mandel Ngan / AFP

O ex-chefe de campanha do presidente Donald Trump, Paul Manafort, foi sentenciado nesta quinta-feira (7) a 47 meses - 3 anos e 11 meses - de prisão pelos crimes de fraude fiscal e bancária.

O juiz T.S. Ellis proferiu a sentença após um tribunal da Virgínia declarar o consultor culpado por oito das 18 acusações que existiam contra ele.

Manafort enriqueceu trabalhando para políticos ucranianos pró-Rússia antes de participar da campanha eleitoral de Trump.

Entre os crimes praticados por Manafort estão a apresentação de declarações fiscais falsas e fraudes bancárias. Ele também não declarou contas no exterior, segundo a sentença. Como ele ainda responde a outro processo, pode ser condenado a mais anos de prisão.

O juiz também ordenou que o ex-chefe de campanha de Trump pague cerca de US$ 24 milhões (cerca de R$ 92 milhões) de restituição ao governo americano e uma multa de US$ 50 mil.

Durante a audiência desta quinta, Manafort afirmou que sua vida profissional e financeira está "em frangalhos" e que dizer que fora "humilhado e constrangido seria pouco".

De acordo com a agência Reuters, havia uma expectativa de que o ex-auxiliar de Trump fosse condenado a até 24 anos de prisão, porém o juiz considerou a medida "excessiva" e "desequilibrada" em relação a outros casos semelhantes.

A próxima sentença de Manafort, que pode aumentar ainda mais seu tempo de prisão, por conspiração e interferência nos depoimentos de testemunhas, deve sair na próxima quarta-feira (13).

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados