EUA: conheça os principais nomes das primárias democratas na corrida presidencial

Nova prévia da oposição a Donald Trump será realizada neste sábado na Carolina do Sul

Três senadores, dois bilionários, um ex-vice-presidente e um ex-prefeito são os principais pré-candidatos na briga pela indicação do Partido Democrata para a eleição presidencial de 2020. Todos são brancos, há apenas duas mulheres, e a maioria já entrou na casa dos 70 anos.

Antes das primárias de sábado na Carolina do Sul, quarta disputa prévia à Superterça de 3 de março, quando 14 estados votam, estes são os principais nomes na disputa pela Presidência com o republicano Donald Trump em novembro:

Foto: Foto: AFP

Bernie Sanders  
De 78 anos e autoproclamado "socialista democrático", Bernie Sanders é o grande favorito, após arrasar no "caucus" (assembleia) de Nevada, no sábado passado, e ter um bom desempenho em Iowa e em New Hampshire.

O senador de Vermont lidera a intenção de votos entre os democratas em nível nacional, com 29,5%, segundo a média de sondagens publicada pelo site RealClearPolitics. E pode até se permitir perder as primárias de sábado na Carolina do Sul, aonde chega em segundo lugar, antes da crucial "Superterça". Para o dia 3, o senador está muito bem posicionado nas enquetes.

Depois de concentrar os ataques do último debate, em especial pela financiamento de seu plano de saúde universal e por seus elogios feitos a regimes comunistas no passado, Sanders aparece em primeiro no total de delegados para a Convenção Nacional Democrata de julho. O senador conta com 45 dos 1.991 necessários para ser indicado em primeiro turno. É desta convenção que sairá aquele que enfrentará Trump em novembro.

Foto: Foto: AFP

Joe Biden
O ex-vice-presidente de Barack Obama, Joe Biden, de 77 anos, conta com uma vitória na Carolina do Sul, aonde chega como franco favorito. Sua esperança é conseguir revitalizar sua campanha, após resultados decepcionantes até então: ficou em quarto em Iowa; em quinto, em New Hampshire; e em um distante segundo lugar, em Nevada.

Até o mês passado, liderava as pesquisas em nível nacional, mas agora está em segundo, com 18%. Persistem as dúvidas sobre sua idade avançada, sobre sua capacidade de reação e sobre seus inúmeros "brancos", apesar de ter-se mostrado um pouco mais enérgico no último debate.

Tem 15 delegados.

Foto: Foto: AFP

Michael Bloomberg
O bilionário ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg, de 78 anos, entrou na corrida somente em novembro passado. Depois de investir pelo menos US$ 500 milhões de sua fortuna pessoal em publicidade, conseguiu galgar até um terceiro lugar na preferência nacional, com 14,7%.

Acusado por seus adversários de querer "comprar" a indicação, Bloomberg teve uma aparição frustrante nos dois debates transmitidos pela televisão, dos quais participou. Este magnata que se apresenta como um moderado não concorrerá na Carolina do Sul, repetindo a escolha já feita nas três primeiras prévias. Estará na disputa da "Superterça".

Ainda não tem um único delegado.

Foto: Foto: AFP

Pete Buttigieg
De 38 anos, Pete Buttigieg é a revelação da corrida democrata. Até então desconhecido do grande público, venceu em Iowa e ficou em segundo em New Hampshire, e em terceiro, em Nevada. O ex-prefeito de South Bend (Indiana) tem um discurso pragmático e unificador que lhe valeu, por enquanto, o segundo lugar em número de delegados, com 25.

Veterano de guerra e pessoa de fé, Buttigieg também é o primeiro pré-candidato presidencial abertamente homossexual. Conta com pouco apoio entre as minorias, o que abre uma grande interrogação sobre suas chances reais de continuar no processo eleitoral.

Em quinto nas pesquisas em nível nacional, com 10,3%, precisa de um bom desempenho na Carolina do Sul para mostrar que tem o apoio do eleitorado afro-americano, um grupo crucial para obter a indicação da sigla e levar o Partido Democrata à vitória em novembro.

Foto: Foto: AFP

Elizabeth Warren
Outra progressista, mas que se descreve como capitalista, Elizabeth Warren, de 70 anos, era favorita nas primárias democratas há alguns meses, mas foi sendo ofuscada por Bernie.

Bastante combativa nos debates, em especial nos dois últimos, contra Bloomberg, a senadora de Massachusetts está em quarto nas sondagens nacionais, com 12%. Seu discurso contra a corrupção, contra Wall Street e a favor da classe trabalhadora ainda não encontrou muito eco até o momento.

Enfrentará um grande desafio na Carolina do Sul. Tem oito delegados.

Foto: Foto: AFP

Amy Klobuchar
A senadora de Minnesota Amy Klobuchar, de 59, surpreendeu com seu terceiro lugar em New Hampshire e se destacou nos debates. No plano nacional, porém, amarga uma sexta posição, com 5,3% nas intenções de voto.

As primárias da Carolina do Sul e a "Superterça" serão uma prova de fogo para esta moderada que tem sete delegados e que disputa o centro com vários rivais - sobretudo, Buttigieg.

Foto: Foto: AFP

Tom Steyer 
O bilionário e filantropo Tom Steyer, de 62, está em sétimo nas intenções de voto em nível nacional, com apenas 2,2%. Surge na Carolina do Sul com um discurso muito voltado para a comunidade negra, com promessas de reparação a descendentes de escravos e planos para financiar escolas historicamente marginalizadas.

Um forte investimento em publicidade e comícios impulsionam sua campanha nesse estado, onde ocupa a terceira posição nas pesquisas. Sua estratégia será suficiente para mantê-lo na corrida? Também acusado de "comprar" votos, segue sem delegados.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo