Caso Madeleine McCann: promotor está convencido de que estuprador sequestrou e assassinou garota

Investigações devem ser finalizadas em 2022

Fotografia de Madeleine McCann
Legenda: Madeleine desapareceu em 2007, quando passava as férias em Portugal com sua família
Foto: Reprodução

Hans Christian Wolters, promotor alemão, declarou que a investigação sobre o caso Madeleine McCann está convencida de que a menina desaparecida desde 2007 foi assassinada pelo suspeito Christian Brückner. As informações foram dadas em entrevistas ao jornal Mirror.

Em 2019, Christian Brückner foi condenado por estuprar uma idosa norte-americana de 72 anos em 2005. Atualmente, ele segue detido em uma prisão de alta segurança em Oldenburg, no norte da Alemanha.

As investigações apontaram que Brueckner morava em uma van de campista perto da Praia da Luz quando Madeleine desapareceu. A polícia do Reino Unido e da Alemanha tomou conhecimento dele como suspeito em 2017, mas só foi a público em junho passado.

Investigações

Hans Christian Wolters afirmou que a investigação tem provas para acusar Brückner, mas admitiu não ter informações sobre como Madeleine teria morrido. Hans Christian Wolters pontuou que as apurações devem ser finalizada em 2022.

Estamos confiantes de que temos o homem que a levou e a matou
Hans Christian Wolters
Promotor

De acordo com o promotor do caso, não há maiores detalhes sobre como Madeleine teria morrido, também não existem informações como DNA ou fotos que liguem Brückner a um suposto assassinato. Porém, a investigação acredita que outros elementos ligam o suspeito ao crime.

Segundo o jornal britânico, entre as provas analisadas, está uma confissão que Brückner teria feito a um amigo e uma análise de um telefone indicando que ele estava no hotel onde Madeleine foi vista pela última vez.

Desaparecimento

Hotel onde estava hospedada Madeleine McCann e a família da garota antes do desaparecimento
Legenda: Hotel onde estava hospedada Madeleine McCann e a família da garota antes do desaparecimento
Foto: Patrícia de Melo Moura / AFP

Madeleine desapareceu do apartamento de férias da família no resort Ocean Club, na Praia da Luz, em Portugal, em 2007, dias antes do aniversário de quatro anos dela. Ela e os irmãos gêmeos de dois anos ficaram sozinhos no quarto, enquanto os pais, Gerry e Kate McCann, desceram para jantar com amigos em um restaurante próximo.

Desde o desaparecimento, os McCann promoveram uma grande campanha para tentar localizar Madeleine em vários países e chegaram a processar um jornal português que os apontou como possíveis responsáveis pela morte dela. Em agosto de 2007, a polícia considerou pela primeira vez a hipótese de assassinato. 

Os próprios pais foram considerados suspeitos, antes de a investigação concluir que a menina havia sido sequestrada. O ex-inspetor da Polícia portuguesa, Gonçalo Amaral, defendia a tese de que a menina morreu por um acidente que os pais estavam envolvidos. Ele chegou a lançar um livro, ´Maddie - A Verdade da Mentira´, e foi afastado do caso. 

Ao longo das investigações, a procuradoria chegou a acreditar que o corpo da criança havia sido congelado e escondido. Brückner já negou ter envolvimento no desaparecimento de Madeleine e se recusou a falar com a polícia e os promotores.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo