Estudo revela que ingerir qualquer quantidade de álcool causa danos ao cérebro

Pesquisadores da Universidade de Oxford verificaram não existir um nível seguro de consumo para a saúde cerebral

Pessoas bebendo em um local fechado e três copos de cerveja estão em destaque na foto
Legenda: O estudo mostrou que o consumo de álcool teve um efeito na massa cinzenta do cérebro, onde a informação é processada
Foto: Adriana Pimentel

Uma pesquisa da Universidade de Oxford revela que qualquer quantidade de álcool ingerida pelo ser humano já causa danos ao cérebro. O estudo é observacional e ainda não foi revisado por pares.

Para os resultados, 25 mil pessoas no Reino Unido foram avaliadas a partir da relação entre o consumo auto-relatado de álcool e suas varreduras cerebrais. 

O estudo mostrou que o consumo de álcool teve um efeito na massa cinzenta do cérebro, onde a informação é processada. Segundo a pesquisadora clínica sênior de Oxford, Anya Topiwala, "quanto mais as pessoas bebiam, menor era o volume de sua massa cinzenta".

Ela explica que o volume do cérebro diminui com a idade e ainda mais com a demência, tendo o álcool contribuído 0,8% nesse processo.

Apesar do índice pequeno, segundo a pesquisadora, foi um desempenho maior do que outros fatores de risco modificáveis, que são aqueles em que se pode fazer algo para retardar o envelhecimento.

Tipo de álcool

Os pesquisadores descobriram, ainda, que não havia um nível "seguro" de bebida. Ou seja, qualquer quantidade e tipo de álcool era pior que não beber.

Certas características, como pressão alta, obesidade ou consumo excessivo de álcool, podem colocar as pessoas em maior risco, acrescentaram os pesquisadores.

A cura para doenças neurodegenerativas como a demência ainda não foi encontrada, segundo destaca Anya Topiwala, por isso, conhecer os fatores que podem prevenir danos cerebrais se faz importante para a saúde pública, na avaliação dela.


Assuntos Relacionados