Operação policial resgata mais de 450 aves que sofriam maus-tratos no Sul da Bahia

Papagaios, periquitos e aves silvestres eram mantidas em cativeiro com condições precárias. Galos usados para rinhas também foram resgatados

Papagaios apreendidos em operação
Legenda: As equipes também apreenderam no local diversos itens utilizados na captura ilegal das aves.
Foto: divulgação/PRF

Uma operação policial resgatou 455 aves que sofriam maus-tratos em um imóvel localizado em São João do Paraíso, no município de Mascote, no sul da Bahia. Dentre os animais, havia grande quantidade de filhotes de papagaios e periquitos com algumas poucas penugens sobre o corpo. As informações são do portal G1.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada, na sexta-feira (19), pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), em Itabuna, para averiguar uma denúncia de crime ambiental. As informações preliminares apontavam que centenas de aves silvestres estavam sendo aprisionadas em uma casa.

Ao chegarem ao local, os agentes se depararam com os animais, os quais estavam amontoados em condições precárias. Os pássaros eram mantidos em caixas de papelão, gaiolas e viveiros cobertos com fezes e urinas, denotando falta de higiene.

Os animais também estavam sem água e circulação de ar, bem como eram privados de luz e tinham restrição de movimentos. Alguns deles estavam desidratados, debilitados e até mesmo mortos. As equipes também apreenderam no local diversos itens utilizados na captura ilegal das aves, que seriam comercializadas nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Galos resgatados
Legenda: Em um imóvel vizinho, havia 42 galos usados em rinhas.
Foto: divulgação/PRF

Em um imóvel vizinho, havia 42 galos usados em rinhas, uma competição ilegal na qual os animais são postos para brigar entre si podendo chegar à morte, conforme a PRF. 

Ao todo, foram resgatados na ação 413 aves silvestres — das quais oito morreram — e 42 galos. Além de papagaios e periquitos, havia espécies como cardeal, pássaro preto, papa-capim, coleira, azulão, sofrê, canário da terra, trinca-ferro, tico-tico e sabiá no grupo maior.

Os pássaros silvestres foram levados para o Centros de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Cruz das Almas. Lá, eles passarão por triagem e serão alimentados e tratados por equipes de biólogos e veterinários. Findada a reabilitação, eles serão libertados. Os galos foram entregues na sede da Cavalaria do 15° do CPM-BA.

As equipes identificaram o responsável pelo aprisionamento ilegal dos animais, e a ocorrência foi apresentada na Delegacia da Polícia Civil em Mascote. Um inquérito policial e os demais procedimentos cabíveis serão realizados.