Após recusa do governo federal, governador da Bahia diz que aceitará ajuda direta da Argentina

Em suas redes sociais, Rui Costa disse que aceitará qualquer tipo de ajuda neste momento

Bahia
Legenda: Rui Costa disse que aceitará a ajuda de forma direta da Argentina, sem que o apoio precise passar pela diplomacia brasileira
Foto: Manuella Luana/AFP

Após o governo federal recusar a ajuda humanitária da Argentina para os municípios atingidos pela chuva na Bahia, o governador do Estado, Rui Costa, disse que aceitará a ajuda de forma direta, sem que o apoio precise passar pela diplomacia brasileira. O anúncio foi feito em suas redes sociais, na tarde desta quinta-feira (30). 

"A Argentina ofereceu ajuda humanitária às cidades afetadas pelas chuvas na Bahia, apesar da negativa do Governo Federal. Me dirijo a todos os países do mundo: a #Bahia aceitará diretamente, sem precisar passar pela diplomacia brasileira, qualquer tipo de ajuda neste momento", disse Rui Costa.

"Os baianos e brasileiros que moram aqui no estado precisam de todo tipo de ajuda. Estamos trabalhando muito, incansavelmente, para reconstruir as cidades e as casas destruídas, mas a soma de esforços acelera este processo, portanto é muito bem-vinda qualquer ajuda neste momento", completou o governador. 

A argentina pretendia enviar imediatamente ao estado nordestino uma missão com profissionais especializados nas áreas de água, saneamento, logística e apoio psicossocial para vítimas de desastres

Conforme o governo baiano, o Brasil agradeceu a proposta do país vizinho e informou que a situação na Bahia “está sendo enfrentada com a mobilização interna de todos os recursos financeiros e de pessoal necessários”. 

O Ministério das Relações Exteriores ainda afirmou que “na hipótese de agravamento da situação, requerendo-se necessidades suplementares de assistência, o Governo brasileiro poderá vir a aceitar a oferta argentina de apoio da Comissão dos Capacetes Brancos, cujos trabalhos são amplamente reconhecidos”.

O presidente Jair Bolsonaro informou, também nesta quinta-feira (30), através das redes sociais, que a Argentina "ofereceu a assistência de 10 homens". Ele afirmou que as Forças Armadas, em coordenação com a Defesa Civil, já estavam prestando assistência à população afetada.

"Por essa razão, a avaliação foi de que a ajuda argentina não seria necessária naquele momento, mas poderá ser acionada oportunamente, em caso de agravamento das  condições. A resposta do Ministério das Relações Exteriores à Embaixada Argentina é clara a esse respeito." 
Jair Bolsonaro
presidente da República

Antes da negativa, o governador Rui Costa (PT) chegou a agradecer a oferta de ajuda humanitária nas redes sociais e solicitou celeridade ao Governo Federal para autorizar a missão internacional. 

Governador da Bahia, Rui Costa, agradece oferta de ajuda argentina em uma tweet
Foto: reprodução

Ceará e mais 15 estados, além do Distrito Federal, anunciaram envio de ajuda para as cidades afetadas. 

Inundações, alagamentos, deslizamentos de terra e caos foram registrados nos últimos dias na federação, principalmente na região Sul. As fortes chuvas causaram a morte de 24 pessoas, além de deixar centenas de feridos e milhares de desabrigados, segundo dados da Superintendência de Proteção e Defesa Civil do estado (Sudec).