Turistas dinamarqueses têm passaportes roubados e não conseguem deixar o País

Grupo foi assaltado no trajeto entre Fortaleza e Canoa Quebrada na última sexta-feira (11) e não conseguiu registrar B.O. por conta da greve da Polícia Civil

Durante um passeio que faziam na última sexta-feira (11) pela orla cearense, um grupo de seis turistas dinamarqueses foi assaltado no trajeto entre Fortaleza e a praia de Canoa Quebrada. Além de levarem relógios, celulares e dinheiro, os criminosos também roubaram as bagagens das vítimas, onde estavam seus respectivos passaportes. Como não conseguiram registrar o Boletim de Ocorrência (B.O.) por conta da greve da Polícia Civil, os estrangeiros estão há uma semana sem conseguir voltar para a Europa.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a Polícia Militar de Cascavel atendeu a ocorrência dos turistas e realizou diligências pra tentar prender os suspeitos, mas não obteve êxito. Segundo a pasta, o grupo está indo a Fortaleza pra registrar o caso na Delegacia de Proteção ao Turista.

Segundo as vítimas, não foi possível realizar o B.O no dia do crime por conta da greve dos policiais civis, que só acabou na última segunda-feira (14). Funcionários da pousada onde os turistas estão hospedados, em Aracati, também destacaram que a polícia não foi ao local para investigar o caso. Para voltarem para casa, os dinamarqueses precisam de novos passaportes.

O caso

Durante a madrugada da última sexta-feira, os turistas dinamarqueses estavam em um ônibus de viagem que foi interceptado por criminosos nas proximidades da cidade de Aracati. Segundo as vítimas, o veículo foi bloqueado por dois carros e uma caminhonete, de onde saíram criminosos armados. 

Após obrigarem o motorista do ônibus a estacionar o veículo, os criminosos se dividiram em dois grupos. Alguns levaram os turistas para um matagal, onde roubaram seus pertences pessoais, enquanto a outra parte da quadrilha promoveu uma verdadeira "limpa" no ônibus. Eles ainda levaram a chave do veículo para que as vítimas não pudessem seguir viagem.

Ao todo, cerca de nove bandidos realizaram a ação criminosa. Nenhum deles foi preso até o momento.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança