Suspeito de matar costureira em São Benedito tem a casa incendiada após o feminicídio

De acordo com a Polícia Militar, o homem se entregou por temer pela vida dele

Foto: Reprodução/Facebook

O homem que assassinou a ex-companheira na cidade de São Benedito teve a casa incendiada após o crime na noite deste domingo (23). A costureira Antônia Eliene de Oliveira Viana, de 39 anos, foi morta com golpes de facas pelo ex-companheiro, que não aceitava o fim do relacionamento. Moradores registraram o incêndio em vídeo. De acordo com a Polícia Militar, pessoas se revoltaram com o crime e atearam fogo na casa. 

O autor do crime, identificado como Ricardo Vasconcelos, de 40 anos, foi preso quando estava escondido em um matagal. A Polícia contou que o homem se entregou por termer pela vida dele. 

“Quando a gente prendeu ele, ele já tinha entrado em contato com o pai dele e disse que ia se entregar. Ele disse: 'quero me entregar', não esboçou nenhum tipo de reação", disse o sargento da Polícia Militar Alexandre dos Santos.

Ainda segundo o sargento, Ricardo afirmou não se lembrar do crime e, em outro momento, chegou a dizer que não tinha matado a ex-companheira. O suspeito foi preso e levado para a Delegacia Regional de Tianguá. 

O crime

Antônia Eliene foi morta pelo ex-companheiro quando comemorava o aniversário da irmã numa festa junina. A irmã e o filho de Eliene tentaram ajudar a vítima, e também foram feridos. Os três foram encaminhados a uma unidade hospitalar, mas a costureira morreu. Os outros feridos tiveram escoriações leves, foram medicados e liberados. 

De acordo com um familiar, a mulher foi atingida com 12 facadas. 

"Ela era uma mulher trabalhadora. Vivia para os filhos dela. Estava agora trabalhando para fazer uma casa para ela morar com a família. Era uma mulher que estava sempre na igreja. Todos gostavam muito dela, pois era educada", lamentou uma parente, que não quis se identificar. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança

Assuntos Relacionados