STF nega habeas corpus contra extradição de mexicano preso em Fortaleza

José Gonzalez Valência, o 'Chepa', é apontado como líder de um cartel de drogas internacional

Escrito por Redação, seguranca@svm.com.br

Segurança
documento falso mexicano cartel
Legenda: O mexicano foi flagrado no Ceará em posse de um documento falso emitido na Bolívia

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido de habeas corpus ingressado pela defesa de José Gonzalez Valência, o 'Chepa'. O mexicano, acusado de liderar um cartel de drogas internacional, foi preso em Fortaleza, em 2017. No início deste mês de março, o STF decidiu extraditar Gonzalez a pedido do Governo dos Estados Unidos da América (EUA).

Na última quinta-feira (17), a ministra decidiu não conhecer o pedido da defesa e manter a decisão unânime da Primeira Turma do STF, que deferiu o pedido de extradição. O advogado Luiz Gustavo Battaglin Maciel disse ao Sistema Verdes Mares que dará entrada em embargos declaratórios da decisão da extradição para os EUA.

A defesa afirma ainda que também entrará com "recurso contra a decisão monocrática proferida na ação mandamental de habeas corpus, porquanto cabe ao órgão colegiado decidir e não a apenas um ministro". No pedido de habeas corpus, o advogado justificou que Gonzalez não recebeu assistência consular efetiva e que o interrogatório judicial foi realizado sem a ciência do advogado constituído no processo de extradição.

Já a ministra Cármen Lúcia destacou, na sua decisão, que eventuais irregularidades decorrentes das decisões proferidas na prisão preventiva para extradição ou na extradição "devem ser questionadas pelas vias recursais próprias, a serem analisados pela Primeira Turma deste Supremo Tribunal".

Acusação

'Chepa' é  apontado pela Polícia Federal (PF) como o líder do cartel internacional de drogas Jalisco Nueva Generación (CJNG). Nos EUA, José Gonzalez Valência poderá responder por tráfico internacional de drogas. O Cartel Jalisco Nueva Generación foi fundado no ano de 2007 e, em pouco tempo, conquistou autonomia, se valendo do envio de cocaína e drogas sintéticas em grande escala para os Estados Unidos.

No fim de 2017, o homem estava no Ceará junto à família e um casal de amigos, para passar o Réveillon em uma casa de praia de luxo na Praia da Taíba, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Policiais cumpriram mandado de prisão preventiva quando 'Chepa' estava na capital cearense, a caminho de um parque aquático.

Assuntos Relacionados