Roubos a instituições financeiras caem 84% no Ceará em 2020 em comparação com 2016

Os dados levam em conta as ações criminosas praticadas contra agências bancárias, empresas de transporte de valores, caixas eletrônicos, postos e terminais de atendimento

De janeiro a agosto de 2020, o Ceará teve uma redução de 84,1% no número de roubos praticados contra instituições financeiras, no comparativo com o mesmo período do ano de 2016. Nos oito primeiros meses daquele ano, foram contabilizados 44 ataques, enquanto que do mês um ao mês oito deste ano, houve sete registros da mesma natureza. Os dados são da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), divulgados nesta terça-feira (22).

Segundo a Pasta, o Estado chegou em 2020 à marca de quatro anos seguidos de queda na quantidade de ações criminosas contra agências bancárias, empresas de transporte de valores, caixas eletrônicos, postos e terminais de atendimento.

No ano de 2016, ocorreram 62 ataques a bancos no Ceará. No ano seguinte foram 56 e em 2018, esse número caiu para 41 casos. Em 2019, o Estado voltou a registrar redução no número de roubos contra as instituições finaceiras, ao registar, nos 12 meses, um total de 14 ocorrências. Neste ano, em pelo menos quatro meses (janeiro, maio, julho e agosto), não foi registrada nenhuma investida criminosa do tipo em todo o território cearense.

O secretário da segurança pública do Ceará, Sandro Caron, atribui os bons resultados à integração das forças de segurança aliada à tecnologia, à investigação policial e à inteligência.

“Nós estamos observando aqui no Estado, desde 2016, uma redução nesses crimes contra instituições financeiras. Deve-se ao trabalho integrado realizado pela Polícia Militar e também pelo trabalho de investigação da Polícia Civil, a interiorização da Ciopaer e o uso de ferramentas de tecnologia, como o videomonitoramento e o Sistema Policial Indicativo de Abordagem (Spia)”, disse.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança

Assuntos Relacionados