Quadrilha furtou R$ 200 mil em joias em shopping

Ação rápida da Polícia Civil terminou com a recuperação das joias e com a prisão de cinco suspeitos, no Ceará, em Goiás e no Distrito Federal

Uma quadrilha interestadual e especializada no furto de joias atacou mais uma vez em Fortaleza. Desta vez, foram furtadas peças avaliadas em cerca de R$ 200 mil, de dentro de um shopping, no bairro Aldeota, em Fortaleza. A mesma organização criminosa já tinha realizado outro furto a shopping em Fortaleza em outubro de 2020, quando a Polícia Civil conseguiu interceptar a fuga e efetuar a prisão de cinco suspeitos do crime, em Sobral, na zona norte do Estado.

Novamente, rápida ação da Polícia Civil do Ceará (PCCE), na Operação Dédalo, levou à recuperação do material furtado e à prisão de cinco suspeitos. "Essas prisões se deram devido a participação dessas pessoas numa organização criminosa natural do Distrito Federal, com ramificação em Goiás, cujos líderes custeiam várias células, normalmente compostas por três pessoas, para que façam furtos de grandes montas, preferencialmente em shoppings das capitais de todo o Brasil", descreve o titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), delegado Rommel Kerth.

Três suspeitos foram detidos na 'Praia dos Crush', em Fortaleza, na tarde da última quarta-feira (13): Igor Augusto da Silva Neves, 19, Vanderley da Conceição Caldeiras, 26, e Amanda Teixeira da Silva, 41. Segundo Kerth, o trio comemorava o furto, gastando dinheiro e tirando fotografias, quando foi surpreendido por policiais civis.

Na sequência da investigação, a DRF descobriu que um pacote havia sido enviado para Anápolis, Goiás. A Polícia Civil de lá foi até a residência e prendeu, ainda na noite do dia 13, Vanessa de Araújo Silva, 21, na posse de um aparelho celular de alto valor.

Entretanto, para Rommel Kerth, aquilo foi "uma isca" para ludibriar a Polícia, que aprofundou as investigações e chegou ao destino do restante do material furtado. Estava em Ceilândia, Distrito Federal, depois de passar por Palmas, Tocantins, o pacote com as joias avaliadas em R$ 200 mil. Foi presa pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), então, Vanessa dos Santos Carneiro, 35, já na última sexta-feira (15). Os bens serão restituído à joalheria.

Plano

A organização criminosa traçou um ousado e elaborado plano para furtar as joias, entre a noite de 9 de janeiro e a madrugada do dia 10. Seis criminosos se dividiram em duas equipes, para atacar simultaneamente a joalheria e a livraria que ficam lado a lado, em um shopping.

Para adentrar à joalheria, Igor Augusto, um jovem de baixa estatura e franzino (condições para realizar o trabalho, segundo o delegado Rommel Kerth), entrou na área de serviço do shopping, penetrou no duto do ar-condicionado, quebrou o gesso do teto e subtraiu todas as joias que estavam nas prateleiras.

Já na livraria, um homem ocultou uma mochila com ferramentas e depois se escondeu no local, enquanto um casal atraía a atenção dos vendedores. Quando os funcionários saíram, o suspeito começou a quebrar a parede, com o objetivo de chegar até a joalheria e, junto do comparsa, arrombar o cofre. Mas ele não conseguiu transpor a parede.

Na manhã seguinte, quando o shopping abriu, os dois homens fugiram pela área de serviço, com ajuda externa, e se misturaram aos clientes do shopping. A Polícia Civil já identificou e procura por mais três criminosos, que participaram da entrada na livraria e do furto de R$ 10 mil do cofre do estabelecimento.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança