Preso ´engenheiro´ do bando

Escrito por Redação,

Segurança
Legenda:
Foto:
´Rogério Bocão´ é acusado de ser um dos principais mentores do plano que propiciou o roubo milionário no BC

O comerciante Marcos Rogério Machado de Morais, conhecido como ‘Rogério Bocão’ ou ‘Cabeção’, de 33 anos, acusado de envolvimento no furto milionário no Banco Central, ocorrido em agosto de 2005, em Fortaleza, foi preso em São Paulo, na tarde da última sexta-feira (17). Segundo as autoridades, ele seria um dos responsáveis pela ‘engenharia’ do túnel escavado pela quadrilha para o roubo de R$ 164,7 milhões da casa forte do BC.

De acordo com a Polícia, ele passeava com a família em um shopping da capital paulista quando foi abordado por uma equipe de policiais do Departamento de Investigações Sobre Narcóticos (Denarc).

Com prisão preventiva decretada pela 11ª Vara da Justiça Federal no Ceará, Marcos Rogério Machado de Morais é considerado um dos principais articuladores do crime contra o Banco Central de Fortaleza. Na ação, os criminosos construíram um túnel a partir de uma casa alugada, situada a um quarteirão da sede do BC.

Segundo o diretor do Denarc, delegado Everardo Tanganelli, ‘Cabeção’ foi um dos responsáveis pela ‘engenharia’ do segundo maior furto a banco do mundo.

De acordo com os policiais, Marcos Rogério foi preso depois de tomar um sorvete com a família no Shopping Villa-Lobos, na zona oeste da capital paulista. Ele foi apresentado à Imprensa paulista, ainda na manhã de ontem, e deverá ser transferido para Fortaleza nas próximas horas.

Investigações

A Polícia de São Paulo informou que o comerciante era monitorado por suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas e atualmente morava na Riviera de São Lourenço, região nobre do litoral paulista. Os investigadores revistaram o veículo Mercedes e a casa da praia do acusado, mas nenhuma droga foi localizada. Rogério é irmão de José Charles Machado de Morais, preso em Minas Gerais quando transportava, para São Paulo, carros de luxo ‘recheados’ com dinheiro furtado do BC, em um caminhão cegonha. Os dois são primos de Jussivan Alves dos Santos, o ‘Alemão’, que continua foragido.

O delegado Roberto Olmedo Cônsul, da Divisão de Inteligência e Apoio Policial (Diap), afirmou que outros suspeitos de envolvimento no furto ao BC estariam escondidos em São Paulo. “Ainda há cinco pessoas distribuídas por São Paulo”, disse o delegado sem informar se um deles seria ‘Alemão’.

Outros nomes

Segundo o delegado, a Policia chegou aos cinco nomes nas investigações que levaram à prisão de Marcos Rogério Machado.

“É evidente que ele (Rogério) manteve diversos contatos com o resto da quadrilha, por telefone, e esses contatos foram registrados”, explicou o delegado Rubens Eduardo Barazal Teixeira, da Divisão de Inteligência da Polícia. As cidades paulistas onde estariam os suspeitos, no entanto, não foram reveladas para não prejudicar investigações.

Seis agentes participaram da prisão de ‘Rogério Bocão’. Eles o perseguiram desde o momento em que o acusado parou seu carro, avaliado em R$ 150 mil, no estacionamento VIP do shopping. Em seguida, com a mulher e dois filhos, um de 4 e outro de um ano de idade, ele se encontrou com outro casal. Inicialmente, a polícia desconfiava que o encontro seria para comprar ou vender drogas, mas a suspeita não se confirmou.

Nathália Lobo
Repórter