Polícia prende suspeita de envolvimento na morte de motorista de aplicativo em Cascavel

Para a Polícia, o esposo da mulher, que está preso, foi o mandante do crime

Carro dentro de um matagal, onde o corpo da vítima foi encontrado
Legenda: O corpo do motorista foi encontrado em um matagal entre as cidades de Pindoretama e Cascavel
Foto: Arquivo Pessoal

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) prendeu, nesta quinta-feira (29), a suspeita de participar do assassinato do motorista de aplicativo Francisco Lopes Gama, de 49 anos, conhecido como Galego. O crime ocorreu no último dia 18, em Cascavel, na Região Metropolitana de Fortaleza. 

Segundo o delegado Josafá Filho, titular da Delegacia Metropolitana de Cascavel, Leydiane Barbosa de Freitas, de 24 anos, mantinha um “relacionamento casual” com a vítima. Para a Polícia, o esposo de Leydiane foi o mentor do crime após descobrir o caso com Francisco.

“Trabalhamos com um mandante, que é marido dela e já está preso por tráfico de drogas, um executor e a Leydiane”, diz o delegado. “Não sabemos até que ponto ela participou por medo ou porque preferiu ser leal ao grupo”, explica.

A suspeita solicitava os serviços do motorista com frequência. No dia do crime, teria o levado para um matagal para distraí-lo até que o executor chegasse, ainda segundo o delegado.

“Ele foi torturado, amarrado e levou um tiro à queima-roupa”, diz o delegado. Conforme Josafá, fotos e peças íntimas da mulher encontradas no veículo demonstram o envolvimento com Francisco. 

O suspeito de atirar contra a vítima está sendo procurado. O suposto mandante também será indiciado, de acordo com o delegado.  

Dia do crime 

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), na madrugada do dia 18 abril, a vítima foi acionada para realizar uma corrida para Leydiane, como era de costume. 

Porém, não retornou para casa. A partir de então, as equipes policiais iniciaram as buscas. Por volta das 16 horas, o motorista foi localizado morto dentro do carro, em uma mata fechada numa região entre Cascavel e Pindoretama.

No local, os agentes de segurança constataram que a vítima foi executada por disparo de arma de fogo. Além disso, nenhum pertence do profissional foi levado, o que descartou a possibilidade de latrocínio (roubo seguido de morte). 

No curso das investigações, os policiais civis constataram a participação direta de Leydiane Barbosa no crime.

Diante disso, as autoridades policiais solicitaram a prisão temporária dela, que foi deferida pelo Poder Judiciário. Na tarde desta quinta, a ordem judicial foi cumprida.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança