Polícia investiga se líder comunitária foi morta por denunciar assassinato em Maranguape

Fernanda Maria Pinheiro Pereira era orientadora social e visitava crianças

A líder comunitária Fernanda Maria Pinheiro Pereira, de 55 anos, foi morta a tiros em Maranguape, na manhã desta segunda-feira, 17, em um cruzamento no Bairro Prourb. Uma das linhas de investigação é que a mulher tenha sido morta por ter revelado suspeitas sobre os autores de um assassinato na área. 

Fernanda também trabalhava como orientadora social do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), visitando crianças e adultos em situação de rua e que vivem em risco.

Uma viatura da polícia chegou a socorrer a vítima para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município, mas a mulher não resistiu aos ferimentos, segundo informações da Secretaria de Segurança do Ceará.

Legenda: Fernanda tinha 51 anos e foi morta quando passava pelo cruzamento das ruas Irmã Cristina Maria e João Carlos Barros
Foto: VC Réporter

Investigação

De acordo com o delegado Francisco Baraúna, dois homens com envolvimento em outros homicídios são suspeitos da morte de Fernanda. "O modus operandi deles nos faz crer que estamos no caminho", afirmou.

Ainda segundo Baraúna, uma das linhas de investigação é relacionada à possibilidade de ela ter comentado com pessoas da comunidade os nomes dos responsáveis pelo assassinato de um anão, na semana passada. Porém, o delegado ressaltou que essa é apenas uma suspeita e que somente as investigações trarão as pistas para resolver o caso.

O crime está sendo investigado pela Delegacia Metropolitana de Maranguape. A polícia ressalta que a população pode contribuir com as investigações repassando informações pelo número (85) 3101-2808, da delegacia. O sigilo é garantido, reforça a polícia.