Polícia fecha clínica de aborto clandestino e prende idosa de 80 anos que mantinha local em Baturité

Local funcionava em cima de um restaurante, no Centro de Baturité.

Legenda: Clínica funcionava em cima de um restaurante no Centro de Baturité
Foto: Paulo Sadat

A polícia fechou nesta sexta-feira (20) uma clínica clandestina de aborto que funcionava em cima de um restaurante em uma movimentada avenida de Baturité, no Maciço de Baturité. Uma idosa suspeita de manter o local funcionando há cerca de 10 anos foi presa. Além da idosa, o marido dela foi autuado por posse ilegal de armas de fogo. 

A polícia investigada o casal há cerca de um mês e meio. A idosa chegou a admitir que realizou procedimentos abortivos no local no passado, mas negou que continuasse com a prática clandestina.

“Admitiu que no passado já houvera realizado alguns procedimentos abortivos, de forma que, atualmente, tinha parado. O que não ficou comprovado, haja vista o catatau de objetos apreendidos sob posse dela”, disse o delegado Joel Moraes.

Na residência do casal foi apreendido um revólver calibre 38 e uma garrucha artesanal do tipo socadeira, além de munição calibre 12. Além disso, os policiais encontraram diversos materiais usados nos procedimentos da clínica. 

Após a prisão, a idoso levada para a delegacia e se encontra à disposição da Justiça. O marido dela, de 73 anos, foi liberado após pagar fiança.

A defesa do casal nega a existência da clínica. “Não existe esse fator”, diz o advogado Aldenor Xavier.
 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de segurança?

Assuntos Relacionados