Polícia Civil apreende centenas de medicamentos em Icó e Russas

Os produtos têm origem desconhecida e estavam em duas casas que pertencem a um vendedor ambulante

apreensão de medicamentos
Legenda: Em uma casa, no bairro Cidade Nova, em Icó, a polícia encontrou na manhã desta quarta-feira centenas de caixas espalhadas em um dos cômodos
Foto: Foto: Divulgação/Polícia Civil

A denúncia de ameaça contra a companheira, seguida de uma discussão entre o casal na Delegacia Regional de Polícia Civil de Icó resultou na apreensão de centenas de caixas de medicamentos nas cidades de Icó, na região Centro-Sul cearense, e na cidade de Russas, no Vale do Jaguaribe, nesta quarta-feira (25).

A delegacia regional de Icó ainda não divulgou a identidade do suspeito de armazenar e vender os remédios, que não foi localizado, e nem a quantidade de caixas de medicamentos (anti-inflamatório, antibióticos, sais digestivos, controle de hipertensão, analgésicos e para impotência sexual) apreendidos nas duas cidades.

De acordo com o delegado regional de Icó, Gláuber Ferreira, a investigação começou na semana passada decorrente de um fato considerado curioso. “O suspeito veio à Delegacia e prestou queixa contra a companheira dele, alegando traição, ameaça e que não queria mais conviver com ela”, contou. Em seguida, a mulher chegou e disse que “ele era um mentiroso, usava arma de fogo e que vendia medicamentos de forma clandestina”.

Diante das acusações, o delegado solicitou à Justiça mandado de busca e apreensão, que foi determinado pelo juiz, Ramon Aranha da Cruz, da 2ª Vara da Comarca de Icó.  

Em uma casa, no bairro Cidade Nova, em Icó, a polícia encontrou na manhã desta quarta-feira centenas de caixas espalhadas em um dos cômodos, onde o suspeito usava para dormir. “Ele foi identificado, é de Icó, e trabalha como vendedor desses produtos aqui e em Russas”, explicou Gláuber Ferreira. “Vamos continuar com a investigação para saber para quem ele vendia e a origem desses produtos”. Na cidade de Russas, agentes da Polícia Civil também apreenderam centenas de caixas de medicamentos, mas a quantidade total não foi divulgada.  

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança