Número de roubos de carga têm queda de 61% no Ceará em 2019

Foram 121 crimes de janeiro a maio do ano passado, contra 47, neste ano.

Legenda: Número de roubo de cargas diminuiu 65% entre janeiro e agosto de 2019, em relação ao mesmo período de 2018
Foto: Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O número de roubos de cargas teve redução de 61% nos cinco primeiros meses de 2019, se comparado ao mesmo período de 2018, no Ceará. Foram 121 crimes de janeiro a maio do ano passado, contra 47, neste ano.

As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (14) pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Ainda de acordo com a Secretaria, em 2018, o estado também tinha registrado uma queda de 21% no número de crimes dessa natureza, se comparado ao ano de 2017.

O secretário da Segurança Pública, André Costa, entende que os resultados positivos se devem ao empenho das polícias Militar e Civil do Ceará com o apoio das tecnologias empregadas no combate aos crimes de mobilidade. 

“Os números são reflexos do trabalho das Polícias Civil e Militar, e Polícia Rodoviária Federal, em todo o Estado, seguidos das estratégias montadas com o emprego do sistema de videomonitoramento e do Spia (Sistema Policial Indicativo de Abordagem). Nós investimos forte no combate ao roubo de carga, e isso tem um impacto na vida das pessoas, no preço final de diversas mercadorias, além da redução no custo do transporte e dos seguros. Continuaremos com esse foco, visando contribuir cada vez mais com a melhoria das vidas dos cearenses”, afirma.

Redução no número de roubos de cargas no Ceará

Mês/crimes em 2018/crimes em 2019/Redução

  • Janeiro  24 / 9 / 63%
  • Fevereiro 21 / 10 / 52%
  • Março 26 / 5 / 81%
  • Abril 20 / 11 / 45%
  • Maio 30 / 12 / 60%

O titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC), Diego Barreto, ressalta que a investigação da Polícia Civil é fundamental porque é por meio dela que é desarticulada toda a cadeia criminosa que gira em torno dos roubos de carga.

“Só em 2018, mais de 200 criminosos foram presos pela DRFVC. Agora, em 2019, continuamos com esse trabalho intenso em busca de identificar os envolvidos nos delitos, principalmente os receptadores, que são aqueles que fomentam o roubo de carga. Além das organizações criminosas, atuamos também na identificação do patrimônio adquirido por meio desses crimes”, frisou.

Ele também exalta a importância da tecnologia para o fortalecimento do trabalho da Polícia Civil. “Essas ferramentas revolucionaram o combate ao roubo e ao furto de carga, proporcionando um acesso mais rápido às informações dos suspeitos, bem como das vítimas. O que acaba proporcionando uma resolutividade maior dos crimes”, explica.