Mecânico que matou ex-companheira teria recebido a arma em um bar na noite anterior, afirma familiar

Isac Ângelo estava acompanhado de um amigo e saiu do estabelecimento apenas às 6h, três horas antes do feminicídio

O mecânico que invadiu a sede de um curso profissionalizante e assassinou a ex-mulher a tiros, no último sábado, no Henrique Jorge, teria recebido a arma que utilizou no crime em um bar, na noite anterior ao crime. Isac Ângelo dos Santos Filho, 34, estava acompanhado de um amigo e saiu do estabelecimento apenas às 6h, três horas antes do feminicídio.

Conforme uma familiar de Emanuelly, a arma utilizada pelo suspeito seria de um suposto  policial. O revólver teria sido emprestado na noite anterior ao crime, no bar em que Isac Ângelo passou a noite. 

A testemunha contou à Polícia que essas informações foram repassadas por pessoas que estavam no estabelecimento e viram o momento em que o suposto policial entregou o revólver para o mecânico.

Isac Ângelo estava em liberdade provisória, após ser preso em flagrante em julho de 2017, em posse de arma de fogo.  Ele foi autuado no Estatuto do Desarmamento, por disparos de armas de fogo em via pública, e posto em liberdade no dia seguinte à prisão, depois de pagar R$ 937 em fiança.

Suspeito passou a noite em um bar com amigo

Isac e um amigo passaram a noite inteira em um bar. A dupla voltou para casa ao amanhecer, em um veículo Volkswagen Voyage, que pertencia ao colega. Segundo o amigo, o mecânico sempre o deixava em casa e, no período da tarde, devolvia o carro. O veículo foi utilizado por Isac Ângelo para ir ao local de trabalho da vítima.

O amigo do mecânico também relatou que Isac parecia tranquilo durante a noite, não aparentava estar com raiva e não mencionou nada sobre a ex-companheira. 
 


Categorias Relacionadas